Take a fresh look at your lifestyle.

Transição capilar: O que é, como fazer e como passar por ela rápido!

Foi o tempo em que as mulheres só queriam saber de cabelos alisados. Hoje, graças ao movimento forte de aceitação do cabelo natural, os crespos e cacheados volumosos voltaram a ser valorizados e exibidos com orgulho novamente. No entanto, quem adere ao movimento, principalmente após anos submetendo os cabelos aos alisamentos químicos, passa por uma fase difícil até recuperar a textura original. É o que chamamos de transição capilar!

A transição capilar é a fase em que os cabelos passam quando decidimos abandonar os procedimentos alisadores, como a escova progressiva ou relaxamento, a fim de recuperar a textura cacheada ou crespa original dos cabelos. Este período costuma durar entre o último retoque de química até o dia do corte que retira todas as pontas alisadas.

Nesta fase, os cabelos precisam de cuidados especiais para garantir que eles cresçam fortes e saudáveis. No entanto, é quando surgem também as dúvidas sobre o que pode ou não fazer e quais técnicas utilizar para estimular os cachos a voltarem. Além disso, é um período difícil e demorado, que requer muita paciência e autoaceitação.

Por isso, muitas mulheres na dúvida ou ansiedade acabam apelando para as mais diversas receitas caseiras para fazer o cabelo crescer rápido, podendo até comprometer todo o processo. Mas, antes de sair arriscando os fios, é preciso entender o processo e as técnicas envolvidas para que a sua passagem pela transição capilar seja adequada e traga resultados positivos.

Técnicas de texturização, como a fitagem no cabelo ajudam a melhorar a aparência dos fios durante essa fase. E os cuidados através de um cronograma capilar bem feito podem ajudar a passar pela fase tranquilamente. Pensando em aderir ao movimentos dos cachos naturais? Então, continue lendo o artigo abaixo para saber mais sobre a transição capilar. Confira!

O que é transição capilar?

A transição capilar é o período que o cabelo leva para voltar ao normal sem química..
A transição capilar é o período que o cabelo leva para voltar ao normal sem química..

A transição capilar é o período em que submetemos os cabelos ao deixar de fazer procedimentos químicos para que eles voltem a crescer da forma original: ondulados, cacheados ou crespos.

Ela se dá início no último dia de retoque de alisamento na raiz até dia do “big chop” (do inglês, “grande corte”), que todas as pontas alisadas são retiradas.

Infelizmente, é um processo bastante demorado que exige cuidados e muita paciência, pois a transição capilar é a única solução possível para recuperar os fios naturais de quem já está insatisfeita com os fios quimicamente alterados e querem voltar aos cabelos cacheados, crespos ou ondulados.

Por que a transição capilar é importante?

A verdade é que por mais que existam cosméticos e técnicas que ensinam como tirar progressiva do cabelo, recuperar a estrutura original dos fios somente é possível ao abandonar a química, deixar o cabelo crescer e depois cortar o restante que já foi processado.

Por isso, a transição capilar é um momento que envolve muitas questões além da estética, como por exemplo, autoaceitação, amor próprio, crises de autoestima e muito autoconhecimento.

Isso porque por muitos anos os padrões de beleza focaram apenas nos cabelos lisos e alinhados como único padrão capilar aceito. Com isso, muitas mulheres passaram a demonizar seus cachos, desejando mudar a estrutura do cabelo para ter fios totalmente alisados e serem aceitas pela sociedade.

No entanto, o efeito liso não acabou com a necessidade de aceitação para muitas melhores, que passaram a se sentir desconfortáveis com a falta de identificação que os fios cacheados e crespos proporcionavam às suas personalidades.

Levou-se muito tempo para que esta “ditadura do liso chapado” acabasse para que a curvatura natural e o volume dos fios voltassem a ser exaltados e fossem devidamente valorizados como antes.

Isso acabou resultando no crescimento da indústria de produtos voltados para cabelos crespos, cacheados e ondulados, proporcionando mais opções para quem tanto desejava voltar a ter seus cabelos originais. Sendo assim, a transição capilar se tornou um símbolo de liberdade e resistência contra os padrões de beleza preestabelecidos pela sociedade para quem deseja um resgate à sua identidade original.

Principais desafios da transição capilar

É preciso estar preparada para enfrentar os desafios da transição capilar.
É preciso estar preparada para enfrentar os desafios da transição capilar.

Como dissemos, a transição capilar é um período que leva à um processo íntimo e delicado de auto aceitação, amor próprio e autoconhecimento. Além de ter de lidar com os seus próprios sentimentos em relação à sua aparência, a pessoa também costuma enfrentar a opinião alheia.

E para muitas pessoas isso não é uma coisa fácil de se fazer e requer muita força de vontade. Mas apesar de não ser um período fácil de se vivenciar, os resultados podem ser muito positivos e recompensantes.

Portanto, se você decidir abandonar as químicas alisadoras, o seu primeiro desafio será aceitar o novo visual até que ele seja restaurado por completo. Com isso, há outros desafios a serem enfrentados, como o das duas texturas presentes nos fios. Afinal, enquanto as pontas ainda estarão lisas, a raiz que se encontra já sem química vai estar crescendo e se destacando.

Além disso, os cabelos ficarão mais fragilizados que os demais, apresentando um ressecamento intenso e frequente, podendo até quebras. Diante disso, você vai ter que dispensar um tempo e cuidados redobrados neste período.

Quanto tempo leva a transição capilar?

A transição capilar pode ser rápida ou demorar o tempo que você quiser.
A transição capilar pode ser rápida ou demorar o tempo que você quiser.

Não há como prever ou determinar uma duração exata para a transição capilar, pois isso depende muito do tempo que leva para o cabelo crescer e da pessoa que está passando pelo processo. Isso porque, assim como se escolhe quando ela será iniciada, a pessoa também pode escolher quando deverá terminar.

Pois, em qualquer momento você pode optar pelo corte “big chop”, que acabará com todos os fios alisados, ou esperar até que os fios cresçam naturalmente até o momento do corte.

Ou seja, a transição capilar pode ser bem rápida, se você optar pelo corte total logo no primeiro mês de crescimento, ou demorar anos até chegar ao fim. Tudo vai depender do tamanho do cabelo que você deseja estar quando os cachos começarem a voltar por inteiro.

Algumas mulheres preferem ir deixando os fios crescerem com o tempo e cortando aos poucos. Mas quem não tem muita paciência para esperar costuma optar pelo corte. Existem até quem escolhe raspar os cabelos de uma vez para nem passar pela transição capilar.

De qualquer forma, sempre terão desafios a serem enfrentados. Quem optar pelo corte terá que lidar com um novo comprimento e uma nova textura ao mesmo tempo; já quem optar por esperar pelo cabelo crescer terá que ter paciência para lidar com a diferença entre as texturas diferentes: pontas alisadas e a raiz crespa.

Como os cabelos costuma ficar após a transição?

Após a transição capilar os seus cabelos voltam a ter a ondulação original aos poucos.
Após a transição capilar os seus cabelos voltam a ter a ondulação original aos poucos.

Toda mulher que está passando por uma transição capilar tem a dúvida de como o cabelo ficará depois do corte. Isso é muito comum, porque tem muita mulher que submete os cabelos a procedimentos químicos de alisamento desde a infância e já não conhecem mais seus próprios cabelos.

O cabelo quimicamente tratado não volta ao seu estado natural 100%, principalmente se ele foi submetidos aos processos de alisamento com frequência. Porém, existem algumas técnicas que podem ajudar a devolver o movimento aos fios. Quando incentivamos os fios naturais a formarem a sua curvatura, o restante do cabelo consequentemente ganha uma ondulação.

Mas não se preocupe, qualquer curvatura de cabelo é bem vida, e hoje em dia há produtos de beleza suficiente para atender os cuidados e necessidades de todos os tipos de cachos, dos mais abertos aos mais fechados.

Você já tomou a decisão mais importante de todas que foi manter os fios originais, naturais como vieram ao mundo. Sendo assim, evite as comparações com os cabelos de outras pessoas. Pensa no quanto você já submeteu os seus cabelos para que eles fossem o que não eram, o momento agora é deixá-los livres para serem o que desejam e passar a cuidar deles para que fiquem saudáveis sempre.

Como passar pela transição capilar?

É preciso ter paciência para passar pela transição capilar.
É preciso ter paciência para passar pela transição capilar.

Existem, pelo menos, duas formas de passar pela transição capilar. A primeira, mais rápida e mais radical, é por meio do tal “big chop”, que corta por completo a parte do cabelo quimicamente tratada de uma única vez.

Mas isso não é obrigatório e pode ser feito a qualquer momento, como já dissemos anteriormente. Afinal, essa é uma decisão que deve ser tomada após pensar bastante, pois a pessoa deve estar completamente preparada e segura para lidar consigo mesma de cabelos mais curtos. À não ser que você já esteja acostumada à esses rompantes de cortes radicais e não tem problema com cabelos curtos (o que não é comum entre a maioria das mulheres).

A segunda forma de atravessar a transição capilar é ir cortando os cabelos periodicamente, conforme vão crescendo. Neste caso, você vai lidar com as duas texturas aparecendo.

Nessa hora, algumas mulheres optam por camuflar as texturas utilizando pranchas e receitas de alisamento natural nas raízes. Porém existem boas técnicas de texturização para os fios, capazes de uniformizar a aparência dos cabelos e ajudar nessa transição.

Truques para esconder as texturas da transição capilar

Há vários truques para passar pela transição capilar e disfarçar as texturas.
Há vários truques para passar pela transição capilar e disfarçar as texturas.

Se você optou por uma transição capilar mais longa, vai precisar aprender alguns truques para esconder a diferença entre as duas texturas do cabelo: lisa do comprimento e ondulada ou crespa das raízes.

Uma das alternativas é recorrer à texturizações para igualar pontas e raiz sem precisar ficar fazendo escova com prancha, evitando assim que os novos já cresçam ressecados e levemente esticados por conta desses processos.

Entre os métodos mais comuns de texturização, temos a fitagem estruturada, o dedoliss, o twist, o flexi rods, os coquinhos, o uso do acessório bigudins e muito outros, capazes de criar algumas ondulações para você aguentar o processo sem precisar recorrer à fontes de calor.

Mas, se você não tiver muita habilidade ou paciência para nenhum deles, também pode investir nas estilosas box braids, uma técnica de trançar as mechas naturais às fibras sintéticas do tipo jumbo, kanekalon ou lã. O estilo tem a duração média de três meses e poderá auxiliar no crescimento dos fios sem danificá-los.

Outra opção é usar faixas e turbantes que cobrem parte ou o cabelo por inteiro, além de penteados que escondem a ponta alisada – como coques, tranças ou até semi-presos, se a parte cacheada já estiver se sobressaindo e as pontas da frente forem um problema.

Como fazer fitagem no cabelo?

Com a ajuda das técnicas de texturização, como a fitagem estruturada no cabelo, os fios quimicamente tratados podem ganhar ondulação de cachos e adiar o big chop. Além disso, a técnica vai estimular a parte lisa para que ela, aos poucos, também forme os novos cachinhos.

Para isso, você vai ter que contar com a ajuda de um creme de finalização e geleia capilar para ajudar tanto na forma do cacho natural que está crescendo quanto nas pontas retas. Para fazer, basta dividir o cabelo em mechas pequenas, aplicar o creme de pentear ou ativador de cachos, passar a escova para dividir o cabelo em fitas e finalizar com as mãos.

Se a parte alisada não ficar totalmente cacheada, amasse bastante com os dedos e quando secar ela vai se misturar com o restante dos fios, amenizando a aparência da textura diferente.

Você pode também utilizar uma geleia capilar e um óleo finalizador. Basta depois de lavar o cabelo, secar com uma toalha de algodão e, em seguida, passar o creme pelo cabelo inteiro, dividindo-o em mechas.

Em cada mecha, separe as fitas com os dedos e aplique por cima a geleia capilar, depois seque e finalize com óleo para quebrar o “durinho” da geleia e soltar a raiz para garantir mais movimento. Assim, o cabelo natural ganha forma e as pontas alisadas também.

Cronograma capilar para o período de transição

É preciso incorporar um bom cronograma de tratamentos durante e depois da transição capilar.
É preciso incorporar um bom cronograma de tratamentos durante e depois da transição capilar.

Além das texturizações e penteados para disfarçar a diferença entre as texturas nos cabelos durante a transição capilar, é muito importante redobrar os tratamentos de beleza para que o cabelo natural cresça saudável e fique mais fácil lidar com as duas texturas.

Afinal, os cabelos em transição são mais frágeis e para evitar qualquer tipo de dano e garantir um crescimento saudável, o ideal é fazer um cronograma capilar completo. Ou seja, criar uma agenda de cuidados que intercala tratamentos de hidratação, nutrição e reconstrução para entregar todos os nutrientes necessários à fibra capilar.

Ele funciona como um calendário, que organiza os tratamentos por três vezes na semana durante o período de um mês, podendo ser reiniciado quando chegar ao fim sempre que for necessário.

A hidratação devolve a água e os nutrientes aos cabelos, a nutrição tem a função de criar uma barreira lipídica na fibra capilar repondo os lipídios e a oleosidade, que manterá a hidratação nos fios e deixará os cabelos brilhantes. Por fim, a reconstrução repõe a massa dos fios devolvendo toda a queratina perdida, fortalecendo as madeixas e livrando os fios do enfraquecimento e das quebras.

Quem opta por passar pela transição capilar mais longa, cortando os fios regularmente, precisa manter esse cronograma firme para não querer voltar a alisar os cabelos de novo. Todos esses cuidados irão ajudar a fortalecer os fios, corrigir os danos e fazer com que os novos fios cresçam saudáveis.

Além disso, durante a transição capilar, você pode ir mantendo os cabelos com cortes lindos como o bob hair, o chanel, o heart shaped e muitas outras opções super na moda.

O que é preciso na transição capilar?

Você precisa adquirir os produtos certos durante a transição capilar.
Você precisa adquirir os produtos certos durante a transição capilar.

Além desses cuidados, de muita paciência e autoconfiança, você terá que utilizar produtos que estimulem o crescimento dos cachos, principalmente se for fazer as texturizações, como a fitagem no cabelo.

Mas, antes de correr para as lojas e gastar uma fortuna em produtos, saiba que você tem muita opção. O básico para passar pela transição capilar tranquilamente inclui shampoo hidratante específico para cabelos em transição capilar, condicionador hidratante, um bom óleo capilar de sua escolha, máscara de hidratação, nutrição e reconstrução para o cronograma de tratamento, creme de pentear ou ativador de cachos específicos e a geleia capilar, para as texturizações.

Porém, essa lista pode diminuir se você optar por usar o óleo na etapa de nutrição e uma máscara de hidratação para hidratar turbinada com receitas caseiras para os nutrientes que seu cabelo precisa. As receitas caseiras são ideais para isso!

Glossário para a transição capilar

Agora que você já sabe tudo o que há para saber sobre transição capilar, tá na hora de entender as diferentes nomenclaturas relacionadas ao assunto, para que você fique ainda mais experiente e consiga identificar logo do que se trata. São elas:

  • Afro puff: tipo de penteado para cabelos crespos que prende o cabelo com uma fita ou cadarço.
  • Bad hair day: dia em que o cabelo não acorda legal e fica difícil de arrumar, dia de cabelo ruim.
  • Co-wash: método de higienização que utiliza um condicionador específico para limpar os cabelos sem o shampoo. Reduz a ação dos sulfatos, petrolatos, parabenos e silicones que ressecam os fios.
  • Umectação capilar noturna: tratamento que integra a etapa de nutrição do cronograma capilar feita com óleo para repor lipídios.
  • Day after: quantidade de dias sem lavar os cabelos depois da última lavagem.
  • Finalização: processo que ativa a curvatura dos cachos depois de lavar.
  • Fitagem: separação do cabelo em fitas na finalização para maior definição.
  • Low poo e no poo: técnicas de higienização com pouco, ou nenhum, sulfato.
  • Revitalização: prática de refazer os cachos no day after quando eles se amassam durante a noite.
  • Scab hair: fios que nascem com falta de nutrientes assim que ocorre a pausa no uso dos procedimentos químicos, de toque áspero, quebradiço, seco e sem definição.
  • Tabela de curvatura: relaciona os cabelos a partir da curvatura dos cachos, dos mais abertos até os mais fechados – 2ABC (ondulados), 3ABC (cacheados), 4ABC (crespos) e 5 (crespos).

Gostou? Apesar de ser um período extremamente difícil e delicado, é possível passar pela transição capilar com tranquilidade e cheia de atitude. Experimente! E volte depois aqui para nos contar como está se sentindo com os seus novos cachos!

Leave A Reply

Your email address will not be published.