Take a fresh look at your lifestyle.

O que é Tampão Mucoso? Saindo aos Poucos, Transparente

Se você está grávida, pode acabar expelindo o tampão mucoso. Mas não há com o que se preocupar.

O tampão mucoso consiste em uma secreção produzida no colo do útero com a função de mantê-lo selado durante a gravidez, constituindo uma barreira físico-química e imunológica, razão pela qual sua integridade é muito importante durante a gestação.

Ele é composto por uma espécie de gel hidratado, com cerca de 90% de água e 10% de glicoproteínas que lhe conferem a consistência característica da mucosa.

Na gestação a termo, a expulsão do tampão é um sinal da iminência do trabalho de parto, que pode ocorrer em horas ou dias, talvez semanas. Algumas mulheres não percebem que o expulsaram. Sua saída ocorre porque o colo do útero começa a dilatar à medida que o momento do parto se aproxima.

Como é o tampão mucoso?

A mulher notará uma pequena quantidade de secreção mucosa, viscosa e espessa. O tampão pode ser expelido de uma só vez ou na forma de um intenso fluxo vaginal que pode durar vários dias.

A relação sexual ou, até mesmo, um toque, pode afetar o tampão e causar o desencadeamento de um fluxo sanguíneo, mesmo que o parto ainda demore dias para ocorrer.

Portanto, não é indispensável ir até o hospital no caso de haver apenas um descolamento do tampão que não seja acompanhado por contrações rítmicas ou perda de líquidos.

Seja como for, se você notar uma perda de sangue em abundância, notifique o seu ginecologista e marque uma consulta para determinar a causa, pois, trata-se de um sinal de alguma possível complicação.

Marrom, amarelo ou transparente?

A coloração do tampão é, geralmente, transparente, amarelada ou marrom e, em certas ocasiões, aparece tingida de sangue, com tons rosados ou avermelhados. Isto se deve ao rompimento de capilares sanguíneos em decorrência da dilatação do colo do útero.

Lembrar disso pode ser muito útil para evitar preocupações desnecessárias, como acontece com muitas mulheres que confundem o tampão com o líquido amniótico.

É muito importante saber fazer essa diferenciação. O tampão caracteriza-se por sua consistência viscosa ou gelatinosa, sendo pouco proeminente e podendo trazer (ou não) vestígios de sangue. Outra forma de identificá-lo é por seu odor adocicado.

O líquido amniótico, por sua vez, é um tanto mais fluido e emana um odor semelhante ao do cloro, sendo comparável – devido à sua consistência – à urina.

Ambos são sinais indicativos da proximidade do parto. Não obstante, o rompimento da bolsa amniótica sucede a eliminação do tampão, quando as membranas se comprimem e posicionam a criança no canal de parto.

O líquido amniótico é, basicamente, água incolor, que também pode aparecer misturada com certa quantidade de sangue. Se águas muito escuras forem expelidas, você deve se dirigir imediatamente a um hospital ou centro de saúde.

É preciso, também, saber como diferenciar o ato de expelir o tampão da existência de uma hemorragia, uma vez que é natural observar nele alguns vestígios, mas não grandes quantidades de sangue.

Logo, se houver uma secreção com sangue abundante e em fluxo contínuo, o seu médico deve ser notificado imediatamente. O sangramento pode ocorrer com ou sem a presença de dores e sinalizar problemas na placenta ou em outros órgãos reprodutivos da mãe.

O tampão mucoso geralmente é transparente, amarelado ou marrom.

Tampão mucoso e cólicas

As cólicas durante a gravidez são o resultado de todas as mudanças no corpo da mulher. Essas dores profundamente incômodas podem ser descritas, em geral, como sensações de alongamento em um ou em ambos os lados do abdômen. Embora elas não sejam perigosas, podem ser muito irritantes e desconfortáveis.

Em relação ao tema do presente artigo, é altamente recomendável ficar atento quanto ao período em que as cólicas se manifestam: se elas se intensificarem logo após a saída do tampão, isso pode significar o início de um processo de parto.

Lembre-se de que muitas mães “de primeira viagem” tendem a confundir as contrações mais leves com novos episódios de cólicas. Se este é o seu caso, acompanhe as informações que apresentamos a seguir.

Quando as cólicas aparecem na gravidez?

As cólicas podem aparecer desde o início da gravidez. Não obstante, é possível distingui-las em diferentes fases, de acordo com o trimestre gravídico.

Primeiro trimestre

É normal sofrer desconfortos abdominais em todos os trimestres da gravidez, mas especialmente durante o primeiro e o terceiro trimestres. Em muitos casos, o desconforto é motivado por empurrões nos ligamentos do útero produzidos pelo seu próprio crescimento.

Esse tipo de desconforto pode ser percebido a qualquer momento, embora sejam muito típicos do primeiro trimestre, e podem lembrar ou se assemelhar à típica dor da menstruação. Outra possível causa de dor abdominal leve é ​​o alongamento dos músculos abdominais.

Por outro lado, a digestão durante a gravidez se torna muito mais lenta, por isso é normal ter esse tipo de desconforto.

Segundo trimestre

Nesta segunda fase do período gestacional, os movimentos fetais começam a produzir uma sensação ainda mais desconfortável para a mãe.

Na prática, o feto passa a realizar movimentos de flexão e extensão das extremidades de seu corpo, gerando dor em certas partes do abdômen. Nas mulheres mais magras, esses movimentos são percebidos com mais facilidade.

Outro motivo pode ser a pirose (ou azia) característica do segundo trimestre. Trata-se de uma acidez ao nível do esôfago (atrás do esterno) que pode chegar até a garganta. Essa acidez causa desconforto e dores em muitas gestantes, sendo um dos principais fatores que a fazem acordar no meio da noite.

Além disso, a prisão de ventre, tão comum na gravidez, contribui para tornar mais grave essa situação.

Terceiro trimestre

No trecho final de sua gravidez você se sentirá bastante desconfortável por muitas razões. Um deles será azia. Uma sensação de queimação na parte inferior do tórax, que pode piorar à medida que o útero ocupa mais espaço e empurra o estômago para fora de sua posição habitual.

Os músculos e ligamentos que sustentam o útero continuarão a se esticar à medida que o bebê cresce e isso pode ser extremamente doloroso.

Como você pode ver, a duração da cólica na gravidez pode ser total. No entanto, tudo dependerá de cada caso. Se você persistir alguma dúvida, é aconselhável ir ao seu médico e discutir todos os sintomas deste desconforto da gravidez, a fim de aliviar e remediá-lo tanto quanto possível.

Grande parte das mulheres sofre com cólicas durante a gravidez.

Ter cólicas durante a gravidez é um bom sinal?

O que podemos dizer é que ter cólicas durante a gravidez é perfeitamente normal. Não há nada de incomum nesse tipo de desconforto. A única coisa ruim é ter que sofrer por muito tempo, portanto, é preciso ter muita paciência.

Todavia, há casos em que as coisas podem ficar complicadas. Se as dores são muito fortes, é melhor consultar um profissional, especialmente se as cólicas forem acompanhadas por algum tipo de sangramento vaginal, calafrios, tontura, febre ou desmaios.

Estas são as causas da cólica na gravidez e sua relação com o tampão. Cada fase é diferente, assim como toda mulher grávida.

Tenha em mente que carregar um bebê em seu útero envolve muitas mudanças às quais o seu corpo tem que se adaptar, então é natural que você sinta coisas desconhecidas para você, especialmente se você será mãe pela primeira vez.

Tampão mucoso ou corrimento?

A partir da quinta semana de gestação, o organismo prepara um conjunto de secreções para isolar o útero da vagina, a fim de evitar infecções. Isto é o que chamamos de tampão. Muitas mulheres não sabem diferenciá-lo do corrimento vaginal. Se você está entre elas, não se preocupe: basta continuar lendo.

Principais diferenças

O tampão é uma substância espessa e viscosa que, conforme mencionado, pode ser transparente, marrom ou amarelado. Muitas mulheres não estão cientes de que, em dado momento, seu organismo deverá expelir o tampão e, assim, o confundem com o corrimento.

Para distinguir entre ambos, você deve se concentrar, sobretudo, no mês de gestação em que você está. Geralmente, a perda do tampão ocorre entre a 38ª e a 40ª semana de gestação, o que significa dilatação do colo do útero. Tudo isso é um sinal de que a hora do parto se aproxima.

Como o tampão mucoso é expelido?

Pode haver um descolamento total ou parcial do tampão. A maioria das mulheres nem percebe esse momento por causa de sua semelhança com o corrimento vaginal na gravidez, a despeito de notarem pequenas diferenças.

Como o tampão não costuma ser muito grande, se você o perder enquanto estiver urinando, talvez nem se dê conta. Por outro lado, você pode identificá-lo ao se secar ou encontrá-lo em suas roupas íntimas.

Se você expelir o tampão antes da semana 37ª semana de gravidez, é crucial que vá ao seu médico. Dessa maneira, você agirá ativamente para evitar um parto prematuro.

Se você seguir todas as orientações médicas, poderá ficar tranquila, por, ainda que tenha expelido prematuramente o tampão, ainda poderá ter uma gravidez e um parto saudáveis.

Tampão mucoso saiu

Este sintoma implica o início da dilatação do colo do útero, mas não constitui um sinal inequívoco de parto, uma vez que ele pode ser adiado até alguns dias após a perda do tampão.

No entanto, é uma informação que deve ser levada em consideração, à medida que indica que não demorará muito para finalmente ter o seu querido bebê em seus braços.

Não se assuste quando o tampão mucoso sair.

Por que o tampão mucoso é expelido?

Quando o bebê começa a pressionar com a cabeça, o colo do útero começa a se dilatar e é possível que o tampão seja expelido. A partir deste momento, pode levar vários dias (cerca de 7 a 10, em média) antes do nascimento da criança. Afinal, é possível que as contrações se tornem mais intensas aos poucos e iniciem a dilatação.

O que é e o que significa o rompimento da bolsa amniótica?

Um dos sinais mais evidentes de que o momento do parto está se aproximando é o rompimento da bolsa amniótica, que pode ou não ser acompanhada de contrações e se caracteriza pela expulsão, através da vagina, do referido líquido. Isso acontece porque as membranas que cercam a criança são comprimidas e se rompem quando ela desce para o canal de parto.

Nesse momento, o mais conveniente é ir ao hospital. Se a dilatação do colo do útero já tiver começado, o parto poderá começar a qualquer momento.

Se, após um período de 7 a 8 horas desde o rompimento da bolsa, o parto ainda não tiver sido concretizado, o médico administrará antibióticos à mãe, para evitar que o bebê entre em contato com as bactérias presentes na vagina, o que poderia acarretar sérios problemas pós-parto.

Se os líquidos expelidos forem incolores, isso significa que tudo ocorre conforme o esperado e que o parto ainda não é iminente. Se, ao contrário, os líquidos apresentarem uma coloração escura, você se manter tranquila e ir ao hospital mais próximo.

Caso ocorra perda sanguínea, ou seja, se houver manchas de sangue misturadas ao líquido amniótico, não é necessário se apressar. Porém, se a perda de sangue for abundante, como em uma menstruação, dirija-se ao hospital, porque isso pode sinalizar o descolamento da placenta.

Tampão mucoso no início da gravidez

Tenha em mente que a existência do tampão mucoso é um dos elementos essenciais para assegurar que a gestação está correndo bem. Na verdade, o tampão começa a se formar desde o início da gravidez e se desenvolve gradualmente, protegendo o útero e fazendo dele o locar perfeito para o crescimento do feto.

Essa barreira protetora se forma entre a quarta e a sexta semana de gravidez, isto é, está presente no organismo da mãe desde o primeiro trimestre. Portanto, o tampão protege o bebê de todas as possíveis infecções externas ao longo de todas as 40 semanas de gravidez.

Em sua composição, encontra-se água, imunoglobulinas e glicoproteínas que, entre outras coisas, conferem ao tampão sua consistência característica.

É de suma importante saber identificar quando ocorre a expulsão do tampão, pois, a partir de então, você deve levar em consideração alguns cuidados, como evitar banhos de banheira.

Embora seja crucial dispor de todas as informações disponíveis sobre a formação do tampão desde o início da gravidez, você não pode deixar de guardar com especial cuidado em sua memória as orientações mais importantes.

Entre elas, a mais relevante é: dirigir-se imediatamente ao hospital caso o tampão seja expelido antes da 37 ª semana e você não tenha contrações ou se houver sangramento constante.

Tampão mucoso: mitos e verdades

O tampão é assunto de muitas conversas sobre a gravidez. Para ajudar você a não se perder em meio a tantas afirmações que, na maioria das vezes, carecem de fundamentação, analisamos se são verdadeiras ou falsas uma breve lista de frases costumeiramente repetidas nessas ocasiões.

Em seguida, abordamos algumas das principais dúvidas sobre o assunto.

“O tampão mucoso é uma secreção que pode aparecer manchada de sangue”

Verdadeiro! Como descrido anteriormente, o tampão tem uma aparência gelatinosa e, em alguns casos (por exemplo, se for expelido devido à presença de contrações), ele pode ser acompanhado de sangramento.

“Protege a gravidez contra infecções”

Verdadeiro! O tampão faz parte de um mecanismo físico-químico do organismo para impedir o surgimento de germes com acesso vaginal ao interior da cavidade uterina. Em outras palavras, o tampão pode ser compreendido como uma barreira que obstrui o canal endocervical.

O tampão mucoso ajuda a proteger o útero.

“É possível expelir o tampão mucoso sem perceber”

Verdadeiro! Em geral, o muco gerado durante a gravidez no interior do colo uterino adquire tal extensão que sua eliminação é evidente, de modo que você não terá dúvidas quando ele sair.

Entretanto, algumas mulheres secretam muitos líquidos durante o terceiro trimestre, de modo que a saída do tampão pode passar desapercebida.

“Assim que o tampão mucoso for expelido, vá ao pronto-socorro, pois você entrará em trabalho de parto”

Falso! O parto não é causado pela expulsão do tampão, não obstante, ante a menor dúvida que se apresentar durante a sua gravides, você deve ir ao serviço de emergência a fim de obter uma avaliação profissional.

“Se você notar sangramento na etapa final da gravidez, não se preocupe: é apenas o tampão mucoso sendo expelido”

Falso! O sangramento que acompanha o tampão é escasso (assemelha-se a uma mancha). Sendo assim, se a quantidade do sangramento for maior que isso, você deve procurar avaliação médica, uma vez que essa condição não é normal.

“Se você está grávida e expulsar líquido pela vagina, tenha certeza de que se trata do tampão mucoso”

Falso! É importante que você saiba diferenciar o tampão de outros tipos de líquidos expelidos durante a gravidez. Portanto, se o líquido que estiver sendo eliminado chega a empapar suas roupas íntimas, você deve ir ao pronto-socorro, pois, provavelmente, ocorreu um rompimento prematuro da bolsa amniótica.

As relações sexuais influenciam na expulsão do tampão?

É bastante provável que, após ter relações sexuais com o seu parceiro, especialmente durante as últimas semanas de gravidez, você observe algumas manchas discretas em suas roupas íntimas. Entretanto, não há motivos para se alarmar: este sinal não tem maiores significados.

É possível afirmar que a prática sexual durante esse período não afeta, absolutamente, a formação do tampão ou sua eliminação natural. Consequentemente, não é contraindicado manter relações sexuais nas últimas semanas de gravidez – a não ser que o médico as restrinja devido a outros fatores ou causas.

Expelir o tampão afeta prejudicialmente o bebê?

De modo algum. O bem-estar fetal é, em princípio, respeitado com a expulsão do tampão desde que a integridade da bolsa amniótica seja mantida. Ou seja, o fato de ter expelido o tampão não indica que o bebê está em perigo.

Naturalmente, é altamente recomendável que os cuidados externos relacionados à higiene pessoal sejam mantidos e, vale lembrar, a futura mamãe opte, em seus banhos, pelo chuveiro em detrimento da banheira.

O que acontece se o tampão for expelido prematuramente?

Se não houver contrações, expelir prematuramente o tampão não tem maior importância. De fato, o número de dias decorridos desde sua eliminação até o nascimento do bebê pode variar significativamente de acordo com cada mulher.

E, embora geralmente indique que você está prestes a dar à luz, há ocasiões em que duas ou mais semanas podem passar antes que você possa ver o rostinho do seu bebê.

Como saber que não é uma hemorragia?

A expulsão do tampão difere claramente de uma hemorragia principalmente pela cor, por que, nesta, o vermelho do sangue é mais intenso e, de certo modo, mais “limpo”. Além disso, outra forma de diferenciação importante consiste em atentar para a quantidade, uma vez que na hemorragia o líquido é bem mais abundante.

Como saber que não estou perdendo líquido amniótico?

O tampão é uma secreção viscosa. Em contraste, o líquido amniótico é mais fluído e tem uma consistência similar à da urina.

Neste segundo caso, você deve notificar imediatamente o seu médico, por que essa situação pode ter implicações mais sérias, fazendo com que seja necessário algum tipo de intervenção ginecológica ou tratamento específico para contar a perda.

Lembre-se de que nos hospitais e clínicas há meios de obter diagnósticos muito simples para estabelecer a diferença de maneira segura e precisa.

Como saber se tenho ou não que ir ao médico?

Você deve ir ao médico ou se dirigir a um hospital apenas se perceber que está sangrando muito. Em caso de sangramento ligeiro, não é necessário consultar nenhum especialista.

Se houver um verdadeiro sangramento, no entanto, o problema deve ser notificado ao seu ginecologista imediatamente, à medida que há condições graves que podem estar em sua origem, entre as quais destacam-se:

  • Placenta prévia (ou placenta de inserção baixa): situação na qual a placenta cobre, total ou parcialmente, o colo do útero;
  • Descolamento placentário (ou desprendimento prematuro da placenta): evento no qual a placenta é separada das paredes do útero.

Como um conhecimento básico a respeito das funções e características do tampão, você já pode evitar que certos medos desnecessários apareçam e assolem sua mente, perturbando esse momento tão especial na vida de qualquer mulher.

Somente quando certas condições houverem se estabelecido, como sangramento ou rompimento da bolsa amniótica, você deve procurar o seu médico a fim de esclarecer todas as dúvidas. Afinal, cada sensação pode ser uma valiosa pista para você e seu bebê entenderem que o tão aguardado momento está cada vez mais próximo.

Leave A Reply

Your email address will not be published.