Take a fresh look at your lifestyle.

Soluço em recém nascido: o que fazer? Como parar? É normal?

Soluço em recém nascido é algo que deixa toda mãe insegura e aflita. Se for mãe de primeira viagem, então, o bebê estar com soluço pode ser um motivo para muita preocupação. Mesmo que não seja, cada filho é único, ainda que tenha outros dez irmãos, então o soluço pode ser uma novidade até para as mães mais experientes.

Neste artigo, vamos esclarecer um pouco sobre os motivos pelos quais o soluço acontece. Além disso, traremos algumas sugestões de como amenizar o problema.

O que é o soluço?

Antes de mais nada, vamos entender o que é o soluço.

O soluço é a contração involuntária do diafragma, músculo localizado abaixo dos pulmões, e também de outros músculos do sistema respiratório.

Por que o soluço acontece?

O soluço acontece quando esses músculos são irritados ou hiper estimulados, quando o indivíduo engole muito ar enquanto se alimenta, por exemplo. Outra circunstância que pode causar o soluço é quando o indivíduo está muito agitado ou ansioso.

Soluço em recém nascido é normal?

O soluço em recém nascido é muito comum, completamente normal e até esperado.

Aliás, muitas mães relatam já sentirem seus bebês soluçando ainda durante as últimas semanas de gestação. Isso também pode acontecer e é totalmente normal.

É muito comum que os bebês engulam bastante ar ao mamar nas primeiras semanas de vida. Esse ar é uma das causas de soluço – mas pode também causar os terríveis gases ou eventualmente vômitos.

O que fazer para evitar o soluço em recém nascido?

Prevenir é sempre a melhor solução. E mesmo muitas vezes a prevenção do soluço sendo inevitável, separamos algumas dicas que podem ajudar a evita-lo. Veja só:

  • Procure amamentar o bebê com frequência, para evitar que ele mame faminto, portanto, ansioso e rapidamente;
  • Ofereça o peito (ou a mamadeira) diversas vezes ao dia e dê preferência a fazer isso em momentos que ele esteja mais relaxado;
  • Procure segurar o bebê com a postura ereta por cerca de vinte minutos após a amamentação. A barriguinha esticada facilita a saída dos gases e evita seu acúmulo;
  • Antes de deitar o bebê, procure faze-lo arrotar. Essa prática evita não apenas o soluço, mas também a formação de gases – que geram as temidas cólicas – e eventuais vômitos.

Como parar o soluço?

Embora nós já saibamos que o soluço em recém nascido é normal e até esperado, ele causa um certo desconforto, por isso, os pais podem querer ajudar a criança, abreviando o tempo de duração desse incômodo.

Caso seu bebê mame no peito, esse é o melhor remédio. Aliás, esse é o melhor remédio para quase todos os problemas de um recém nascido. Então, se ele mama no peito, ofereça a ele e logo o soluço desaparecerá. Caso seu bebê não mame no peito, oferecer a mamadeira ou até a chupeta também pode ajudar. O movimento de sucção estimula o diafragma a retomar seu funcionamento normal.

Colocar o bebê em posição para arrotar e estimular o arroto também pode ajudar.

Em casos de bebês mais velhos, onde a água já faça parte da dieta, alguns goles também ajudam a amenizar o desconforto.

O soluço tem relação com o refluxo?

O soluço em recém nascido pode estar relacionado ao refluxo? Na verdade, ao contrário.

Quando o bebê ainda é muito novinho, seu esfíncter – válvula muscular que abre e fecha, liberando a passagem do alimento para o estômago – ainda não está maduro, então pode não funcionar exatamente da forma esperada.

Assim, quando o bebê soluça, pode acontecer dele regurgitar um pouco. E isso é totalmente normal.

Mesmo o refluxo é comum em bebês recém nascidos e desde que o bebê esteja ganhando peso, não há motivo para preocupação.

Quando procurar ajuda?

É sempre bom fazer o acompanhamento do bebê com um pediatra de confiança. O primeiro ano do bebê requer orientações e o acompanhamento de um pediatra.

Dessa forma, qualquer ocorrência que seja motivo de preocupação será notada rapidamente.

No caso do soluço em recém nascido, siga sua intuição. Se você achar que está acontecendo com muita frequência, procure seu pediatra. Mas tenha em mente que algumas ocorrências são completamente normais.

O soluço em recém nascido e as crendices populares

O soluço em adulto ou o soluço em recém nascido está sempre ligado a diversas crendices populares. Toda avó ou bisavó tem uma receitinha mágica para dar fim a esse desconforto. E outras tantas para explicar o motivo do aparecimento dele.

É bom ter em mente que bebês recém nascidos são muito mais frágeis e delicados que crianças ou adultos.

Uma das formas que a crença popular recomenda para “curar” o soluço é chacoalhando a pessoa que está acometida do mal. Outra recomendação muito famosa é assustar a pessoa que está soluçando.

Isso pode ou não funcionar com um adulto, e tudo bem. Mas não se deve jamais chacoalhar ou assustar um bebê recém nascido.

Assustar um bebezinho é, no mínimo, cruel. Porém, chacoalhar um recém nascido pode oferecer risco de morte. É realmente muito perigoso.

Claro que simpatias como colocar uma linha na cabeça do bebê não farão mal algum, embora não exista uma explicação para a eficácia dessa prática.

A lista de simpatias para curar soluço é muito extensa. A internet está repleta de opções. Assim como a sua vizinha, a sua avó, a tia da sua prima… É sempre importante usar o bom senso e analisar o que oferece e o que não oferece risco para o bebê.

Outra explicação popular para o soluço é a friagem. Os antigos diziam que o soluço em recém nascido pode acontecer porque o bebê está sentindo frio. Não há mal em agasalhar o bebê caso você acredite que este seja o problema. Alguns antigos recomendavam dar ênfase para aquecer pés e mãos.

Considerações finais

Soluço em recém nascido é algo que chega a dar dor no coração! Ver aquele corpinho pequenino e frágil sofrendo com os espasmos é mesmo de cortar o coração. Apesar disso, é normal e comum.

Esperamos ter ajudado você a entender melhor o soluço em recém nascido e, principalmente, como ajudar a evitar que ele aconteça. Acompanhe sempre nosso blog para mais dicas como essa.

Leave A Reply

Your email address will not be published.