Take a fresh look at your lifestyle.

Repelente com Icaridina: Marcas Confiáveis!

Já ouviu falar em repelente com Icaridina, marcas confiáveis e outros tipos de proteção? Pois, saiba que o princípio ativo do repelente é que vai definir a sua indicação. Afinal, são tantas doenças transmitidas por mosquitos (dengue, febre amarela, zika, chikungunya, febre amarela, malária, entre outras), que já não podemos afirmar se um único repelente é capaz de nos proteger contra todas elas.

Por isso, não basta apenas entender a importância do repelente para prevenir picadas dos mosquitos, mas saber qual deles irá protegê-lo com mais eficiência. O Aedes Aegypti, por exemplo, é responsável pela transmissão do vírus de diferentes doenças, todas consideradas graves, como a zika, chikungunya e dengue.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil teve 173 mortes causadas pelo chikungunya, 141 pela dengue e 2 pelo zika vírus em um ano, sendo que a febre amarela, há anos erradicada, voltou a reaparecer.

Existe vacina contra febre amarela, mas nem todo mundo tem acesso ou pode tomar por conta das suas restrições. Além disso, as outras doenças ainda não possuem vacinas. Para agravar o cenário, existem doenças em outros países como a malária e a febre do Nilo Ocidental, que acabam infectando quem viaja para esses lugares.

Apesar de serem vírus diferentes, o agente transmissor (mosquito) é quase sempre o mesmo. Mas existem muitos princípios ativos diferentes nas fórmulas dos repelentes e pouca informação nas embalagens para que possamos identificá-los e saber a sua real indicação.

No artigo abaixo, tiraremos todas as dúvidas sobre como funciona cada tipo de repelente, como usar corretamente e sugerir outros meios de prevenir as picadas. Encontrar o melhor repelente de inseto, seja um repelente com icaridina, marcas e outros princípios, é extremamente importante para a sua segurança e a sua saúde.

Confira!

Informações Importantes

Muitos especialistas orientam sobre o uso adequado de repelentes contra mosquitos, mas também alertam que não existe hoje um repelente específico contra o Aedes Aegypti. Além disso, é o princípio ativo dos produtos disponíveis no mercado que definirá qual é o mais adequado para cada caso.

O repelente com Icaridina (Icardin) como base da formulação parecem oferecer uma maior proteção à esse mosquito, quando comparado à outros produtos à base de IR3535 e DEET, outros princípios ativos.

No entanto, de acordo com as pesquisas clínicas recentes, todos os repelentes são semelhantes, desde que usem ingredientes seguros, importando mais a concentração do princípio ativo ou suas combinações e a forma correta de usá-los.

Segundo alguns testes, dentre vários produtos testados, os mais eficazes foram aqueles que continham de 10% a 30% de DEET, de 20% a 25% de icaridina, e de 20% a 35% de IR3535.

Já a maioria dos produtos feitos com ingredientes naturais, como citronela, óleo de citrinos, óleo de cedro e outros óleos vegetais naturais apresentam baixa eficácia e desempenho bem mais fraco, além de uma duração curta, de 30 minutos até 1 hora. Com exceção do óleo de limão eucalipto sintético, que não pode ser encontrado no mercado brasileiro.

Usados corretamente, repelente com icaridina, DEET e R3535 é capaz de proteger contra todos os tipos de mosquitos, incluindo o transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela (Aedes Aegypti), além de outros insetos como muriçocas, borrachudos, pernilongos e percevejos.

Isso significa que você não precisa de um repelente específico para cada doença citada acima. Porém, o DEET também é bastante eficaz contra carrapatos, já os outros oferecem uma proteção mais limitada, neste caso.

Princípio ativoAprovado pelo CDC e AnvisaConcentração recomendadaDuraçãoRestrições
DEETSim15% – 30%Até 8 horasSomente acima de 2 anos
IcaridinaSim20% – 25%Até 8 horasAcima de 6 meses
IR3535Sim20% – 35%De 4 até 6 horasAcima de 6 meses

Tipos de repelente de insetos

Há vários tipos de repelente com icaridina e outros ingredientes ativos.
Há vários tipos de repelente com icaridina e outros ingredientes ativos.

Em geral, repelentes de insetos devem ser aplicados sobre a superfície da pele, podendo se apresentar na forma de gel, loção, spray, roll-on ou aerosol. Todos eles possuem em sua composição princípios ativos como ingredientes químicos ou naturais capazes de impedir que os mosquitos cheguem a pousar sobre a pele e picar.

Para escolher um bom repelente, é preciso seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), que pesquisaram a eficácia desses produtos, especialmente em áreas de alto risco.

Os ingredientes dos repelentes de mosquitos funcionam de forma a mascarar as substâncias químicas que o organismo libera naturalmente, para que os mosquitos não sejam atraídos por elas.

Portanto, quando for ler os rótulos, procure pela classificação do produto e seu princípio ativo, além das concentrações recomendadas.

Veja abaixo os tipos de repelente e suas respectivas indicações:

1. Repelente com IR3535

O repelente com IR 3535 é um produto de princípio ativo sintético desenvolvido na década de 1970 e que pertence ao fabricante de medicamentos Merck. Ele foi amplamente utilizado na Europa durante 20 anos antes da sua introdução em outros mercados.

Ele é considerado seguro e foi liberado pela Anvisa para uso em gestantes e crianças na faixa etária a partir de seis meses até dois anos, porém a sua duração é muito curta. Assim, são necessárias reaplicações a cada 2 horas.

Ele foi o primeiro repelente a receber a liberação até 2017 junto da Icaridina. Apesar de ser menos comum em produtos brasileiros, existem 2 marcas disponíveis no Brasil: o repelente Johnson’s Loção Antimosquito e o Huggies Turma da Mônica.

O IR3535 pode causar irritação nos olhos, mas não apresenta outros riscos para a saúde. É reconhecido pelo CDC como um repelente de insetos eficaz , junto ao DEET e Icaridina. Porém, assim como o DEET, é um plastificante e pode danificar materiais como plástico, borracha, vinil e couro.

2. Repelente com DEET

O repelente do tipo DEET (comercialmente indicado como Diethyl Toluamide, no Brasil) é um dos repelentes de mosquitos mais eficazes, também um dos mais antigos no mercado, além de ser o mais comum.

Ele foi desenvolvido pela primeira vez para o uso do Exército dos EUA em 1946, tornando-se disponível para o público em geral no ano de 1957.

É um repelente considerado eficaz, mas sua duração depende da sua concentração no produto. Por exemplo, na concentração de 15% a 30%, oferece proteção máxima de 6 horas ou mais contra mosquitos e carrapatos.

Ele é outro ingrediente que o CDC recomenda para prevenir doenças transmitidas por mosquitos, mas precisa ser usado corretamente para ser totalmente seguro. Assim, ele deve ser aplicado apenas uma vez por dia sobre a pele exposta, não sendo reaplicado por mais do que 3 vezes ao dia e nunca por debaixo da roupa.

Além disso, não se deve usar em crianças menores de 2 anos. Em 2017 a Academia Americana de Pediatria emitiu uma declaração dizendo ser segura a sua aplicação em crianças de dois meses ou mais, desde que na concentração de até 30%. Já a Anvisa não o considera seguro até os dois anos.

O DEET, como a maioria das substâncias, também pode irritar os olhos. Além disso, é um plastificante, que pode danificar plástico, vinil, borracha, couro e outros produtos sintéticos, embora não ofereça riscos ao algodão, lã ou nylon.

É necessário lavar as mãos após a sua aplicação e retirá-lo da pele antes de dormir. No Brasil, está disponível nas marcas OFF, Repelex e Autan.

3. Repelente com Icaridina

A Icaridina é um repelente sintético incolor e inodoro desenvolvido na década de 1980 e modelado por um composto extraído da pimenta preta. Alguns testes mostraram que a icaridina é um pouco mais eficaz do que o DEET em termos de duração, além de ser mais indicada para quem sofre com alergias ou sejam sensíveis ao DEET.

Este é o segundo ingrediente mais comum encontrado na formulação dos repelentes no mercado brasileiro, mas ainda é mais difícil de ser encontrado nas prateleiras. É também um dos produtos mais caros.

A substância foi reconhecida pela OMS e CDC como um repelente eficaz e uma boa alternativa ao DEET, desde que em concentrações entre 20 a 25%, já que oferece aproximadamente 10 horas de proteção contra os insetos.

Quando aplicado sobre tecidos, podem durar até 72 horas. Mas também não deve ser usado debaixo de roupas e deve ser mantido longe dos olhos. Ao contrário do DEET, a icaridina não irá prejudicar os materiais plásticos e outros materiais artificiais.

No passado, a icaridina não era recomendada para crianças com menos de 2 anos de idade, mas a Anvisa liberou seu uso em 2017 para crianças de seis meses até dois anos, junto com o IR3535.

Apesar de não ter uma história tão longa no mercado, estudos comprovam que ele pode ser usado de maneira segura, porém a única marca disponível no Brasil é o Exposis.

4. Repelentes naturais

Os repelentes naturais como citronela, andiroba e óleo de soja podem ser usados com segurança, mas a sua eficácia será baixa. Embora muitos fabricantes de repelentes “naturais”, tipicamente com óleos vegetais essenciais como cedro, citronela, erva-de-limão e alecrim, afirmam que seus produtos são capazes de proteger contra os mosquitos, inclusive os do vírus Zika.

Eles podem até funcionam, mas por apenas pouco tempo, cerca de meia hora à uma hora no máximo, após a aplicação

Uma alternativa, segundo especialistas, é combinar essas substâncias manipulando repelentes sintéticos com naturais. Como por exemplo, utilizar o princípio ativo IR3535 com a citronela, a fim de aumentar a eficácia dos óleos naturais e facilitar uma melhor absorção na pele.

Existe também um óleo sintético produzido a partir do óleo de limão eucalipto, aprovado pelo CDC, que dura até 6 horas, mas não existe nenhum repelente com isso no Brasil, além de que o óleo essencial puro não tem a sua eficácia comprovada.

As velas de Citronela já foram muito utilizadas como forma de afastar mosquitos, mas na verdade elas não são muito mais eficazes do que as velas comuns, que também liberam calor, dióxido de carbono e umidade.

Há também anúncios para dispositivos anti-mosquitos ultra-sônicos, que supostamente emitem sons irritantes aos insetos, porém Organizações da Comissão Federal de Comércio citam vários estudos que provam o contrário.

Dicas de como aplicar repelente

Para ser eficaz o repelentecom icaridina ou qualquer outro deve ser aplicado corretamente.
Para ser eficaz o repelentecom icaridina ou qualquer outro deve ser aplicado corretamente.

Para que os repelentes sejam eficazes, mesmo sendo um repelente com Icaridina marcas famosas, a aplicação e o uso corretos são fundamentais, tanto para oferecer uma proteção máxima quanto para evitar possíveis irritações na pele ou nos olhos.

Portanto, para aplicar o repelente corretamente, siga as dicas a seguir:

Aplique na pele exposta e no corpo todo

Aplique o repelente apenas na pele exposta e nunca por debaixo das roupas para não causar irritação. No entanto, pode passar por cima das roupas, principalmente se elas forem de tecido fino. Isso vai aumentar a área de proteção do repelente. Há quem passe até no lençol para criar uma área repelente ainda maior, protegendo as partes do corpo que ficam expostas, como face e mãos.

Evite aplicar nas mãos de crianças

Embora seja importante sempre lavar as mãos depois de usar o produto, tente evitar também aplicar nas mãos das crianças. Isso porque elas costumam levar as mãos à boca com frequência. Além disso, o ideal é retirar o repelente do corpo antes de dormir, evitando a exposição à substância durante muito tempo.

Cuidado com mucosas e ferimentos

Não se recomenda aplicar o produto próximo aos olhos, nariz, boca ou genitais para evitar irritar as mucosas. Além disso, use com moderação as orelhas. Se for um repelente em spray ou aerossol, pulverize nas mãos antes de passar no rosto. Evite também aplicar o produto sobre cortes, feridas ou pele irritada.

Aplique sempre após os cremes

Aplique o repelente 15 minutos após o uso de protetores solares, maquiagem e hidratante. “ O repelente é o último produto a ser aplicado na pele. Primeiro usa-se hidratante, filtro solar, maquiagem e o repelente sempre por cima de tudo.

Não exagere na aplicação

A frequência de aplicação do repelente deve ser seguida de acordo com a orientação no rótulo do produto. Lembrando que os produtos com maior porcentagem do princípio ativo têm maior duração.

O uso indiscriminado pode causar irritação na pele ou até mesmo uma intoxicação, por isso use apenas uma quantidade suficiente para cobrir a pele levemente. Passar demais ou muitas vezes não vai aumentar o desempenho ou a duração do repelente.

Evite deixar ao alcance das crianças

Não é recomendado que o produto fique ao alcance das crianças, nem que elas apliquem o produto nelas mesmas, sem orientação. Apesar dos ingredientes serem seguros para aplicação em crianças acima dos 2 anos, elas podem acabar exagerando na dose ou aplicando em locais que não deveriam.

Cuidado com a intoxicação

Embora seja um produto liberado para uso e seguro, para evitar uma intoxicação, sempre lave as mãos após a aplicação do repelente e não use repelentes em spray ou aerossol próximos a alimentos. No final do dia, é sempre bom lavar a pele para remover os resíduos de repelente, assim como as peças de roupas.

Se usar roupas de materiais sintéticos, é melhor optar pelo repelente com icaridina, pois o DEET e o IR3535 podem danificar esses tipos de tecido. E lembre-se, caso tenha alguma reação adversa ou intoxicação, procure um médico imediatamente, levando a embalagem do produto.

Como os mosquitos costumam atacar?

repelente com icaridina mosquito
Os mosquitos são atraídos pelo dióxido de carbono e odores corporais.

Há inúmeras espécies de mosquitos no mundo, cada uma com hábitos de vida próprios, ou seja, se alimentando em diferentes horários em diferentes ambientes. Assim, fica difícil determinar uma hora exata para eles agirem.

Por isso, o ideal é assumir que os mosquitos podem morder a qualquer momento do dia ou da noite tanto em áreas urbanas e rurais. Portanto, sempre tome as devidas precauções durante o dia todo.

Normalmente, os mosquitos são atraídos por dióxido de carbono, pelo calor e umidade emitidos dos nossos corpos. E eles podem sentir a presença humana à léguas de distância. Quando expiramos, emitimos uma nuvem de dióxido de carbono que é levado para longe pela brisa, além de ser liberado através da sua pele. A temperatura corporal também pode variar em cada um, e quanto maior a temperatura, maior a chance de atrair mosquitos.

Há também algumas evidências de que o odor corporal emanado, como suor e outros produtos químicos aplicados na pele podem atrair mosquitos. No entanto, não há evidências de que uma dieta específica torne a pessoa mais ou menos atraente para os mosquitos.

A verdade é que eles seguem a trilha, voando em um padrão de ziguezague, até encontrarem uma fonte de CO2, calor e esses odores. E apesar de cada pessoa ter uma química corporal ser diferente, algumas pessoas realmente são mais propensas a atrair avanços de insetos indesejados do que outras.

Daí a impressão de que algumas pessoas são praticamente comidas vivas, enquanto outras não sofrem nenhuma picada. Os mosquitos também tem a tendência de preferir a pele exposta, mas alguns são capazes de picar através da roupa.

Doenças transmitidas por mosquitos

Existem muitas doenças que podem ser transmitidas pelos mosquitos, algumas delas já existem no Brasil ou já tiverem mais de um caso (marcadas com um *), veja abaixo:

DoençaEspécieQuando se alimentam
Chikungunya*Aedes aegypti e Aedes albopictusDurante o dia
Dengue*Aedes aegyptiDurante o dia
Febre do Nilo OcidentalCulexDurante a noite
MaláriaAnophelesDurante a noite
Febre amarela*Aedes e HaemogogusDurante o dia
Zika*Aedes aegyptiDurante o dia

Dúvidas mais frequentes

Muita gente tem dúvidas sobre como usar o repelente com icaridina.
Muita gente tem dúvidas sobre como usar o repelente com icaridina.

Para que não fique nenhuma dúvida quanto ao uso do repelente, seja um repelente com icaridina ou outros ingredientes, vamos responder à algumas questões mais comuns, veja a seguir:

Pode passar repelente por cima das roupas?

Idealmente, os repelentes devem ser aplicados na pele em áreas expostas. Normalmente, as roupas já formariam uma barreira de proteção contra o mosquito.

No entanto, há casos em que os mosquitos conseguem picar através dos tecidos, principalmente os muito finos e mais aderentes à pele. Neste caso, opte por um repelente com icaridina aerosol ou spray, que não vá danificar os tecidos.

Existem repelentes para bebês?

Alguns países liberaram a utilização de repelente com icaridina, DEET e IR3535, a partir de 2 meses de idade, mas no Brasil não existe nenhum produto recomendado para uma faixa etária de menos de 6 meses.

Mesmo assim, um único repelente liberado para a faixa etária de 6 meses até 2 anos, embora ainda seja uma fase muito delicada, o repelente do tipo IR 3535. Mas o pediatra deve ser sempre consultado antes de aplicar.

Mulher grávida pode usar repelentes?

Não há nenhuma restrição ou contraindicação para o uso de repelentes em gestantes ou lactantes, pelo contrário, a proteção é fundamental para não contrair nenhuma doença e proteger também o bebê.

Há contraindicações para os repelentes?

O uso de repelentes é apenas contraindicado a pessoas que possam ter alguma alergia ou intolerância aos componentes da sua formulação.

Repelentes são à prova d’água?

Não há repelentes à prova d’água, por isso eles precisam ser reaplicados após o contato com água ou em caso de transpiração em excesso.

Quais partes do corpo não devem ser esquecidas?

O repelente deve ser aplicado em qualquer área descoberta do corpo, inclusive as orelhas, pescoço, pés é até mesmo no rosto, só tomando mais cuidado com as mucosas, como olhos, boca ou nariz.

Protetor solar + repelente funciona?

Em geral, os protetores solares devem ser reaplicados a cada 2 horas, por isso quando combinados ao repelente, podem exceder a quantidade recomendada aos químicos dos repelentes.

Há vários testes que comprovam a eficácia de ambos os produtos separadamente. Porém, tanto o protetor solar quanto o repelente devem ser usados todos os dias da seguinte maneira: aplique o protetor solar primeiro e espere de 5 a 10 minutos até secar totalmente e depois aplique o repelente por cima.

O protetor solar pode ser reaplicado por cima do repelente a cada 2 horas, e nunca o contrário. Sendo que o repelente não pode ser aplicado mais que 3 vezes ao dia.

Melhores repelentes com Icaridina no mercado

Existem muitos tipos de repelentes disponíveis no mercado, mas apenas poucas opções de repelente com icaridina marcas diferentes. São eles abaixo:

Repelente Exposis Gel

repelente com icaridina marcas: Repelente Exposis Gel
Ingrediente: Icaridina 20% – Duração: até 10 horas
Além de oferecer proteção poderosa contra mosquitos e outros insetos, o repelente com icaridina em gel da Exposis não possui perfume.

Por isso, pode ser uma ótima opção para quem tem alergia ou seja sensível. Especialistas afirmam que repelentes em em gel ou loção são mais eficazes que outros tipos, pois formam uma camada mais forte na pele e ter maior absorção. Além disso, o spray ou aerossol podem ser respirados e causar irritação.

Repelente Exposis Extreme Spray

repelente com icaridina marcas: Repelente Exposis Extreme Spray
Ingrediente: Icaridina 25% – Duração: até 10 horas
Assim como o repelente com icaridina Exposis Gel acima, o Exposis Extreme Spray também não possui cheiro, então é outra boa opção para quem tem alergia a perfumes, mas prefere a praticidade do aerossol. Neste caso, a concentração de icaridina foi aumentada, por conta da perda no aerossol, oferecendo até 10 horas de proteção.

Repelente SBP Advanced Spray

repelente com icaridina marcas: Repelente SBP Advanced Spray
Ingrediente: Icaridina 10% – Duração: até 5 horas
Esse é outro repelente com icaridina, mas com uma concentração menor. Apesar das avaliações de consumidores serem positivas e o preço menor, o produto pode até ter um ótimo custo benefício, mas a sua concentração é abaixo da recomendada de 20% a 25% de icaridina.

No entanto, o produto oferece proteção a base de água de até cinco horas, não possui fragrância, tem fórmula de secagem rápida, é testado dermatologicamente, pode ser usado em crianças acima de 6 meses, além de ser o mais barato da lista. Ele também tem uma versão em gel e outra versão spray SBP Pro com 12 horas de duração.

Como se proteger além dos repelentes

Além de usar repelente com icaridina e outras substâncias, é preciso se prevenir das picadas dos mosquitos através de outras ações, como as seguintes abaixo:

  • Sempre que estiver em locais de maior risco ou ao ar livre, use meias com sapatos fechados, calças e camisas de mangas longas, não muito coladas na pele e de cores claras, para facilitar a localização dos insetos.
  • Se tiver telas de proteção nas portas e janelas, certifique-se que não tenham furos. Caso não possua telas, uma opção mais econômica é colocar telas em velcro que podem ser aplicadas por cima dos vãos, basta medir o tamanho.
  • Use ventiladores para afastar os mosquitos e levar o CO2 e outras substâncias químicas corporais para longe.
  • Evite acumular água nas calhas, pneus, baldes, carrinhos, piscinas ou coberturas de piscinas, plantas, enfeites e qualquer outro lugar em a água possa ficar retida para que os mosquitos não se proliferem.
  • Mantenha o seu sempre quintal limpo e o gramado cortado para minimizar as chances de locais de proliferação de mosquitos.

Pronto! Agora você já sabe qual o melhor repelente com icaridina marcas e outros ingredientes ativos, basta escolher aquele que mais se adequar às suas necessidades.

Leave A Reply

Your email address will not be published.

Este site utiliza cookies para melhorar a experiência AceitarLer mais