Take a fresh look at your lifestyle.

Pílula do dia seguinte funciona no período fértil faz efeito?

A pílula do dia seguinte é um método contraceptivo de emergência, que deve ser usado apenas quando o método contraceptivo habitual apresenta alguma falha ou é esquecido.

O que você sabe sobre pílula do dia seguinte? Para que ela serve? Pílula do dia seguinte faz mal? Quais são os efeitos colaterais? Pílula do dia seguinte funciona no período fértil?

São muitas dúvidas e a gente vai tentar te ajudar a esclarecer boa parte delas, especialmente se a pílula do dia seguinte funciona no período fértil, já que este tema é pouco abordado e muito importante.

Mas é importante te lembrar que nenhum artigo que você leia, nenhum vídeo que você assista, substitui uma conversa com o seu ginecologista de confiança.

Ele vai poder te orientar exatamente qual a pílula do dia seguinte mais indicada para o seu corpo e que te trará menos efeitos colaterais.

Enquanto sua consulta não chega, vamos agilizando alguns esclarecimentos.

O que é a pílula do dia seguinte e como ela age?

A pílula do dia seguinte é um método contraceptivo de emergência, que deve ser usado apenas quando o método contraceptivo habitual apresenta alguma falha ou é esquecido.

A composição da pílula do dia seguinte pode ser à base de levonorgestrel ou à base de acetato de ulipristal. A grande diferença entre elas é o tempo que você “pode esperar” para tomar.

A pílula à base de levonorgestrel pode ser tomada até três dias depois da relação sexual desprotegida ou onde o método anticoncepcional falhou.

A pílula à base de acetato de ulipristal tem eficácia num prazo prolongado e pode ser tomada até cinco dias após a relação sexual desprotegida ou onde o método anticoncepcional falhou.

Quanto mais rápido você tomar, maior a eficácia do contraceptivo de emergência, por isso colocamos o “pode esperar” entre aspas. Na realidade você não pode esperar. Tome o mais rápido possível para garantir a maior eficácia possível.

Cabe lembrar que a pílula do dia seguinte apenas ajuda a evitar uma gravidez não desejada, mas ela não atua na prevenção nem no combate de doenças sexualmente transmissíveis – a camisinha é indispensável para te proteger delas.

A pílula do dia seguinte atua inibindo ou adiando a ovulação, dificultando dessa forma a entrada do espermatozoide no útero e possivelmente na maturação do ovócito.

Ela também aumenta a viscosidade do muco vaginal, o que dificulta a locomoção dos espermatozoides e torna mais complicado acontecer a fecundação.

Segundo os fabricantes, ela não tem eficácia caso o processo de fecundação já tenha iniciado, ou seja, a pílula do dia seguinte não é considerada um método abortivo.

A pílula do dia seguinte não funciona caso a fecundação já tenha acontecido, ou seja, não é um método abortivo.

Quando tomar a pílula do dia seguinte?

A recomendação é que a mulher faça uso do contraceptivo de emergência quando tiver uma relação sexual desprotegida ou quando outro método contraceptivo falhar.

Na prática, isso significa que você deve tomar a pílula do dia seguinte quando:

  • Tiver uma relação sexual sem preservativo;
  • O preservativo se romper durante a relação sexual;
  • Expulsão involuntária do DIU;
  • Você esquecer de tomar seu anticoncepcional regular – principalmente se isso acontecer mais de duas vezes na mesma cartela;
  • Retirada ou deslocamento do diafragma antes do tempo previsto;
  • Casos de relação sexual sem consentimento.

Lembrando sempre que a pílula do dia seguinte não te protege contra doenças sexualmente transmissíveis, como já dissemos, por isso é importante o uso do preservativo feminino ou masculino.

A pílula do dia seguinte funciona no período fértil sem a mesma eficácia, mas também é importante tomar. Vamos te explicar melhor mais à frente.

Em casos de uma relação sexual sem consentimento, é importante que você procure um hospital para verificar se está tudo bem com seu corpo – além, claro, de procurar acompanhamento profissional psicológico para se assegurar que fique tudo bem com seu emocional mesmo após viver esse trauma.

Efeitos colaterais da pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte pode trazer alguns efeitos colaterais bastante desagradáveis se for usada com frequência. Não é recomendado que ela seja usada mais do que duas vezes por mês.

Como se trata de um método para ser utilizado em situações emergenciais, é preciso tomar cuidado para que essas situações emergenciais não virem rotina.

Se você não deseja engravidar, precisa se programar e utilizar um método contraceptivo de uso contínuo seguro. E a gente repete que apenas o uso de preservativos te protege de doenças sexualmente transmissíveis.

A quantidade de hormônios presente na pílula do dia seguinte é altíssima e afeta todo o funcionamento hormonal do seu organismo, por isso não deve ser ingeria dom frequência.

O uso regular do contraceptivo de emergência pode causar:

  • Aumento do risco de câncer de mama;
  • Aumento do risco de câncer de útero;
  • Aumento do risco de trombose;
  • Aumento do risco de embolia pulmonar;
  • Aumento do risco de ter problemas numa futura gestação.
Evite o uso exagerado da pílula do dia seguinte.

Portanto, cuide de sua saúde e não torne rotina o uso de um medicamento para uso emergencial.

Além disso, nas horas seguintes a ingestão desse medicamento, você pode sentir dores fortes de cabeça, náuseas e eventuais cólicas.

Para evitar as dores de cabeça e as náuseas, é recomendado que você não ingira a pílula do dia seguinte sem comer.

Algumas estatísticas indicam que tomar a pílula do dia seguinte com um líquido gelado também ajuda a prevenir as dores de cabeça, as náuseas e até as cólicas.

Algumas mulheres podem apresentar um escape menstrual – um pequeno sangramento que durará apenas algumas horas.

Converse com seu ginecologista e não abra mão de um método contraceptivo regular caso decida que não é o momento de engravidar. E nunca abra mão do uso de preservativos para evitar doenças sexualmente transmissíveis.

Pílula do dia seguinte e menstruação

A pílula do dia seguinte pode fazer alterações na sua menstruação sim, então vale ficar atenta.

Como já dissemos, algumas mulheres podem notar um escape da menstruação, um sangramento de pequenas proporções que pode durar apenas algumas horas.

Esse escape acontece em até dez dias após a ingestão da pílula do dia seguinte. É normal, não se assuste. Se o sangramento durar mais do que isso, é conveniente buscar ajuda médica.

Além disso, como a pílula do dia seguinte mexe com os hormônios, ela pode fazer com que a menstruação adiante ou atrase cerca de dez dias.

O mais comum é que o hormônio presente na pílula do dia seguinte faça a sua menstruação se adiantar, mas o atraso também não é incomum.

De qualquer forma, em caso de atraso, vale fazer um teste de gravidez para se tranquilizar – ou não.

A pílula do dia seguinte pode causar irregularidades na menstruação.

Qual o preço médio da pílula?

O preço médio da pílula do dia seguinte é bastante acessível, embora possa variar muito de acordo com a região onde você mora.

Você pode encontrar as opções de levonorgestrel nas farmácias a partir de apenas R$4,00, até o preço máximo de R$40,00.

Essa variação assim tão imensa se deve a questões de marca. O genérico é sempre mais barato.

Também existem algumas marcas que fabricam a pílula do dia seguinte em dose única ou em duas doses que devem ser tomadas conforme orientação da bula – e varia de marca para marca.

A pílula do dia seguinte feita à base de acetato de ulipristal é bem mais difícil de encontrar e seu preço é um pouco mais elevado, podendo chegar a R$70,00 em algumas regiões.

Tomar pílula do dia seguinte no período fértil adianta?

Antes de mais nada, para entender como a pílula do dia seguinte funciona no período fértil, vamos te ajudar a entender esse tal período fértil.

O período fértil é quando ocorre a ovulação e seu corpo se prepara para a fecundação e a gestação.

É muito difícil calcular com precisão o período fértil, já que o corpo da gente não é uma máquina exata. Cada mulher tem um ciclo menstrual diferente, mas a maioria tem ciclos de vinte e oito a trinta dias.

Você consegue descobrir facilmente o tamanho do seu ciclo anotando num calendário a data do primeiro dia da menstruação. Após alguns meses realizando essa anotação, é só contar o número de dias entre o primeiro dia de um mês e o primeiro dia do próximo mês.

Claro que o ciclo de uma mulher que usa anticoncepcional convencional é completamente fixo e regulado, pois essa é uma das funções do medicamento.

Quem usa anticoncepcional convencional também não tem período fértil, afinal, a função principal do medicamento é inibir a ovulação.

A forma de calcular o período fértil mais aceita e usada tem como base ciclos de vinte e oito dias.

Para facilitar seu entendimento, a gente vai simplificar a teoria resumindo a: o período fértil é o período no meio do ciclo.

Assim, no décimo quarto dia após o primeiro dia da sua menstruação, você está no dia mais fértil do seu ciclo.

É importante lembrar que uma vez depositado no corpo da mulher, o espermatozoide por sobreviver por até quatro dias, então, todas as relações sexuais desprotegidas que você tenha após o nono dia são consideradas relações dentro do período fértil.

Caso seu ciclo não seja de vinte e oito dias, existem sites confiáveis que te ensinam a calcular melhor seu período fértil tendo como base a observação do primeiro dia da sua menstruação por alguns meses.

É importante você fazer esse cálculo para ter ideia se a pílula do dia seguinte funciona no período fértil. A resposta é “sim”, porém, tem parte de seu potencial de eficiência prejudicado.

Como o medicamento age também para evitar a ovulação, a pílula do dia seguinte funciona no período fértil apenas parcialmente, já que a ovulação já está ocorrendo.

Fora do período fértil, a pílula do dia seguinte já não tem cem por cento de eficácia garantida. Assim, os fabricantes costumam apontar para noventa e cinco por cento de eficácia.

A eficácia da pílula do dia seguinte nunca é de 100%.

A pílula do dia seguinte funciona no período fértil, mas o risco da mulher engravidar é de cerca de dez por cento, podendo chegar a quarenta por cento.

E esse risco aumenta de acordo com a demora para tomar o contraceptivo de emergência.

Fora do seu período fértil, as porcentagens aproximadas de eficiência da pílula do dia seguinte são essas:

  • Noventa e cinco por cento de eficácia nas primeiras vinte e quatro horas;
  • Oitenta e cinco por cento de eficácia nas vinte e quatro horas seguintes;
  • Cinquenta por cento de eficácia no terceiro dia;
  • Praticamente zero a partir do quarto dia.

Dentro do período fértil, esse número diminui consideravelmente, iniciando a porcentagem em dez por cento com aumento progressivo da porcentagem de risco de falha.

Facilidade do acesso: ponto positivo e negativo

A pílula do dia seguinte de levonorgestrel é facilmente comprada em drogarias por um preço muito acessível, como já mostramos. Mesmo assim, ela é distribuída gratuitamente nos postos de saúde.

Em nenhum dos dois casos é necessário ter idade mínima para conseguir o medicamento, basta comprar ou solicitar.

Muitas meninas – especialmente as mais novas e que mais precisam – têm vergonha de ir ao ginecologista por diversos motivos.

Entre esses motivos, o medo do médico contar o que for conversado para os pais ou responsáveis é o maior deles, já que muitas meninas não têm liberdade para conversar sobre sexualidade em casa.

E são justamente essas que mais precisam de uma orientação de qualidade, não de conversas com amigas que, mesmo bem intencionadas, não têm o mesmo conhecimento de um médico.

É bom lembrar que existe o sigilo médico e ele precisa sempre ser respeitado. A quebra do sigilo médico incide em sérias penalidades para o profissional.

Embora o acesso à pílula anticoncepcional regular também seja fácil, muitas meninas têm medo de começar a usar sem orientação médica e a opção escolhida não ser a mais indicada ou eficaz – mas não têm a mesma preocupação com a pílula do dia seguinte, infelizmente.

O cuidado com a sua vida sexual – não importa sua idade nem quão ativa ela seja – é tão importante quanto o cuidado com qualquer aspecto da sua saúde, especialmente porque através de relações sexuais ou do uso inadequado de métodos anticoncepcionais você pode ver sua vida toda mudar em instantes, seja por uma gravidez indesejada ou por contrair uma doença sexualmente transmissível.

Mesmo que você não tenha uma vida sexual ativa, seja lá por qual motivo, é bom você considerar a prevenção, afinal, a gente nunca sabe o que pode acontecer num sábado à noite…

Considerações finais

Esperamos ter conseguido esclarecer algumas das suas dúvidas e curiosidades a respeito da pílula do dia seguinte e como evitar uma gravidez indesejada.

Como todo medicamento, é importante ter cautela para utilizar. Sempre gostamos de te lembrar que a automedicação nunca é uma boa ideia. Mantenha sempre contato com um médico de confiança e cuide da sua saúde!

Leave A Reply

Your email address will not be published.