Take a fresh look at your lifestyle.

Orgasmo Clitoriano: O que é? Como ter?

A sexualidade feminina, durante séculos, sempre foi motivo de tabu e sempre recebeu resistência para ser melhor apreciada e estudada. Aliás, essa é uma repressão que repercute até os dias atuais, onde muitas mulheres não conhecem e não são estimuladas a conhecer plenamente o próprio corpo, identificar suas regiões erógenas. Por isso, muitas nem sequer sabem da existência do orgasmo clitoriano – muitas pensam que existe apenas o orgasmo vaginal, anal e o do famoso Ponto G.

Mas tenha ciência de que existem ao menos 6 tipos de orgasmos femininos:

  • Vaginal;
  • Anal;
  • Ponto G;
  • Uretra;
  • Mamário;
  • Ponto U.

A repressão e o desestímulo para que a mulher conheça seu próprio corpo impede que ela se sinta mais satisfeita sexualmente.

Algumas pesquisa sobre o nível de satisfação sexual dos brasileiros, por exemplo, apontam que as mulheres são as que mais sofrem insatisfação com o ato sexual, cerca de 56%. Outros dados apontam ainda que as mulheres estão preferindo sono de qualidade à satisfação sexual.

Muito dessa insatisfação seria resolvida se não fosse considerado um tabu tão grande a masturbação feminina, prática de grande auxílio para indicar os estímulos com resultados mais satisfatórios e que poderiam servir como tema de diálogo entre os parceiros antes da relação para facilitar o prazer na cama.

Com a masturbação, é possível chegar até o orgasmo clitoriano. Mas o que é orgasmo clitoriano, como ter um e o que deve ser evitado para impedir uma frustração sexual?

Todas essas dúvidas a respeito de orgasmo clitoriano serão respondidas a seguir. E para começar a responder essas questões, primeiro é preciso entender o que é e qual a função do clitóris.

O clitóris

Clitóris vem da palavra grega “kleitoris”, cujo significado em nosso idioma é “pequeno monte”. E não deixa de ser uma comparação que tenha sentido. O órgão mede de 9 a 11 cm e fica posicionado na parte superior da vagina, próximo aos grandes lábios, mas abaixo do púbis.

Não é facilmente identificável, no entanto, pois é sobreposto pelos lábios vaginais, que formam uma espécie de casulo de proteção. Somente com a abertura desses lábios e aplicando moderada pressão sobre o púbis é possível encontrá-lo.

É constituído por duas partes, interna e externa. A interna mede aproximadamente 4cm e a externa 5mm. O formato e tamanho podem variar conforme o biotipo de cada mulher.

O clitóris é revestido por um tecido fino de proteção muito semelhante ao que protege o pênis masculino. O pênis do homem também pode alterar de tamanho conforme os estímulos que recebe, proporcionando uma ereção com a parte externa aumentada em até 2 cm. Isso ocorre devido ao estímulo aumentar a circulação sanguínea na área.

Mas diferente do pênis, que também tem a função de liberação de fluídos, a função única do clitóris é o de dar prazer sexual para a mulher, pois conta com pelo menos 8 mil terminações nervosas, o dobro do órgão masculino, auxiliando para intensificar o orgasmo feminino.

Por ter como função apenas proporcionar prazer à mulher e por sermos descendentes de uma sociedade patriarcal, o clitóris não foi digno de estudos por um longo tempo. Só passou a ser estudado mais seriamente no século XX, nos anos 1990.

O orgasmo clitoriano

Quando o clitóris é estimulado na medida e frequência certas, o prazer sexual da mulher é intensificado e isso ocasiona o chamado orgasmo clitoriano. O seu potencial de prazer à mulher é muito maior do que o do orgasmo vaginal, por exemplo, que ocorre meramente com a penetração do pênis na vagina, e isso ocorre devido às já mencionadas 8 mil terminações nervosas do clitóris que são muito sensíveis.

No entanto, chegar ao ápice do prazer via orgasmo clitoriano não é tão simples, pois muitas mulheres sentem dificuldades de alcançar o prazer máximo com o estímulo no órgão. É preciso obedecer algumas etapas, agir no tempo certo, estimular de forma adequada, e cuidar para não provocar desconforto durante a relação.

Há algumas dicas úteis para provocar o orgasmo clitoriano e recomendações sobre o que se deve evitar para não prejudicar a experiência. Listaremos essas dicas e recomendações a seguir.

Mas antes trataremos de uma questão que aflige muitas mulheres, mas que não deveria ser motivo de grandes preocupações, já que se trata de um problema compreensível e comum para muita gente.

Essa questão é a falta de prazer.

A falta de prazer

Muitas mulheres se sentem culpadas por jamais terem tido um orgasmo clitoriano ou qualquer tipo de orgasmo. Acreditam que exista algo de errado com elas, que possam ser frígidas e chegam até a duvidar de suas preferências.

Claro que se deve avaliar cada caso, mas saiba que dificuldades de sentir prazer no sexo não é um problema tão raro quanto se pensa e as pesquisas apontadas no começo do post são uma prova disso. Uma parcela expressiva das mulheres nunca sentiu prazer, ou seja, o seu caso não é isolado ou especial.

Há também a tendência de se culpar o parceiro, mas isso é bobagem. Se, por questão cultural, as mulheres não são estimuladas a conhecer o próprio corpo, é injusto cobrar do parceiro ou parceira que encontre a rota da mina logo na primeira expedição pelo seu corpo.

Tem que se lidar ainda com a questão da timidez, do receio de desagradar o parceiro/parceira ao comentar que a experiência poderia ser melhor se certos desejos e carícias fossem atendidos.

Soma-se todos esses fatores e chegamos nesse quadro em que dormir é mais desejável do que uma noite de bom sexo – afinal, em grande parte dos casos, não é bom.

Agora temos todas as peças alinhadas: a falta de conhecimento sobre o próprio corpo, a dificuldade de diálogo com o parceiro/parceira e o cansaço acumulado de noites mal dormidas ao longo da semana. É melhor dormir mesmo…

Dicas para o orgasmo clitoriano

Chegar ao orgasmo clitoriano necessita passar por algumas etapas, tomar alguns cuidados, estimular na medida certa e ter paciência. Para facilitar o processo, há algumas dicas úteis para seguir. Começando por:

Devagar e sempre

O clitóris precisa ser estimulado aos poucos, devagarinho, gradualmente, para o sangue circular direito na região, o relaxamento naturalmente se instaurar e a excitação manter-se em uma escalada só.

É recomendado começar a acariciar a região com os dedos ao redor, na região próxima ao clitóris, dedilhando de forma circular, suave, mas sempre na direção do órgão. Aumente o estímulo fazendo o mix de massagem com os dedos com beijos na região e tocando outras partes do corpo.

Sexo oral, mas com ressalva

Se o sexo oral fizer parte das preferências, pode ser um ótimo recurso para aumentar o prazer na região e auxiliar em busca do orgasmo clitoriano. A junção da umidade, textura e temperatura dos lábios com a língua é capaz de provocar sensações muito prazerosas.

Contudo, é recomendável que comece o sexo oral com moderação, de forma suave, sem chupar ou sugar com força e direto no clitóris, pois isto pode causar dor e desconforto. Inicie com movimentos delicados.

Brinquedos em ação

Os brinquedos eróticos são de grande ajuda para provocar o orgasmo clitoriano, porém, não é aconselhável sair escolhendo qualquer um. Opte por vibradores que tenham níveis diferentes de vibração e duas pontas (uma para excitar o clitóris, outra para ser introduzida na vagina).

Mas, atenção: é recomendado usar o vibrador depois de iniciados a massagem erógena e o sexo oral, pois esse roteiro é garantia para um prazer reforçado. Outra dica é combinar a penetração do pênis com o uso do brinquedo para estimular o clitóris.

Não resolva substituir os dedos e a língua somente pelo aparelho, pois por mais estimulante que seja, não consegue substituir o ritmo e as sensações provocados pelos primeiros.

Quando aumentar a intensidade

Certo, depois dos dedos e da língua, pode acrescentar uma fase mais intensa? Claro que sim, mas precisa esperar o ponto certo. E a “senha” para aumentar a intensidade das investidas é quando o clitóris ficar mais espesso, graúdo, volumoso.

Isso é sinal de que ficou mais cheio de sangue e que a excitação se encontra em patamar elevado, portanto, no ponto adequado de receber ações mais intensas – e contínuas – e assim proporcionar o orgasmo clitoriano.

Incrementando o sexo oral

Cabe dar uma passada no sex shop ou em sites específicos na net para aprimorar a investida com sexo oral se valendo de cosméticos sensuais, como óleos com sabores deliciosos, e géis excitantes. Estes, por sinal, são ótimos para gerar sensações térmicas agudas e agradáveis que podem ser acentuadas ao soprar ou lamber.

Uma recomendação para aumentar ainda mais o prazer é aplicar o gel concomitantemente à penetração.

Explorando e explicando o terreno

Como expresso anteriormente, a masturbação feminina pode ser uma grande aliada para melhorar a satisfação sexual e para concretizar o orgasmo clitoriano. Ao conhecer melhor o corpo, você adquirirá mais noção sobre os movimentos e regiões que mais lhe agradam, o ritmo e a pressão que mais lhe deixa confortável e excitada.

Com essas informações, ficará mais fácil de compartilhar com o companheiro ou companheira as suas experiências, o que aumenta as chances de uma atividade sexual mais bem-sucedida.

Se tiver dificuldades para reparar os pontos ou o momento exato em que fica em agradável grau de excitação, a dica é tocar-se estando diante de um espelho ou colocar um ante a vagina para medir a excitação provocada no clitóris.

Bom posicionamento ganha jogo

Saber as posições que melhor colaboram para o grau de excitação no clitóris é de grande valia para a meta do orgasmo clitoriano. Ao ficar por cima do parceiro quando este estiver deitado, não sente de frente; ao invés disso, fique de costas.

Nessa posição, o clitóris roça a perna durante o ato de penetração. Você pode repetir o mesmo posicionamento com o parceiro estando sentado em uma cadeira ou no sofá. Esse posicionamento ainda dá liberdade para as mãos tanto do homem como da mulher.

Siga o conselho da ex-ministra

Ao chegar no momento do clímax, do orgasmo clitoriano vindo com tudo, a reação comum é uma vontade quase incontrolável de agarrar o parceiro ou grudar nas fronhas do leito. Seguir por caminho contrário à inclinação natural pode proporcionar gozo ainda mais intenso, que seria o de soltar pés e mãos e relaxar. Ou seja, na chegada do grande momento, o segredo é relaxar e gozar.

O que não deve fazer

Ao tentar o orgasmo clitoriano, não é o melhor caminho começar o estímulo no órgão de prazer feminino logo de cara, já que a região não se encontrará relaxada e pode gerar desconforto. O ideal, conforme apontado acima, é começar por uma massagem no entorno do clitóris e depois acrescentar outras investidas e intensidades.

Evite brutalidade, pois isso certamente irá gerar dor, desconforto e consequentemente irá transtornar a parceira. Cuide para que as mãos não estejam muito ásperas. Atente-se na pressão que coloca nos dedos, pois pressão excessiva causa lesões.

Mordidas fortes estão fora de qualquer cogitação (a não ser que role um lance sadomasoquista). Movimentos muito rápidos também causam problemas, machucados, fricção excessiva e desgastante. Repetir por muito tempo o mesmo movimento além de anestesiar o corpo, deixa a região sujeita a desgaste e pode vir a provocar ferimentos.

Gostou do conteúdo? Então curta, compartilhe, avalie, opine.

Seu apoio e sua opinião são muito importante para nós.

Leia mais de nosso conteúdo.

Leave A Reply

Your email address will not be published.