Take a fresh look at your lifestyle.

Luftal Bebê: Faz Mal? Como Usar? Quantas Gotas?

O nascimento de um bebê é uma bênção para qualquer família e motivo de muita alegria para todos. No entanto, é também um período difícil e de alguma preocupação para os novos pais, devido a tantas mudanças em suas rotinas. Isso porque, passadas algumas semanas de vida e adaptação à lactação, o bebê pode vir a sentir as cólicas e dar um pouquinho de trabalho. Tentando lidar da melhor forma, muitas mamães optam por remédios para o aliviar os sintomas, como o Luftal bebê, um medicamento próprio para situações como essas.

Mesmo assim, ainda há muitas dúvidas quanto a administração do medicamento, por conta dos bebês serem tão novinhos e frágeis nessa fase de vida.

Apesar do Luftal bebê ser um medicamento bastante conhecido e muito usado para aliviar os sintomas de desconfortos gástricos e cólicas causadas pelos gases em recém-nascidos, é preciso ter cuidado.

Isso porque não há comprovação científica com relação ao motivo das cólicas em recém-nascidos. Por esta razão, há quem diga que o Luftal bebê funciona, enquanto outros outros afirmam que não.

Pensando nisso, escrevemos o artigo para esclarecer todas as dúvidas e ajudar a entender como o medicamento funciona. Incluímos também outras opções para aliviar as cólicas nos bebês.

Confira abaixo!

Como saber se o bebê está com cólicas?

Luftal bebê pode aliviar os sintomas de cólicas.
Luftal bebê pode aliviar os sintomas de cólicas.

É muito difícil determinar se o bebê recém-nascido está com cólicas, principalmente quando os pais não possuem experiência. Os primeiros sinais de cólicas costumam aparecer a partir da segunda semana de seu nascimento e costuma durar até os três meses de vida, não passando disso.

No caso dos bebês prematuros, a contagem pode ser feita a partir de quinze dias após a data que estava prevista para o seu nascimento.

No entanto, para saber se o bebê está mesmo sentindo cólica, tente observar os seguintes sintomas:

  • Ao chorar, o bebê encolhe muito as perninhas e se mostra visivelmente incomodado;
  • O choro é intenso, às vezes podendo durar até três horas seguidas;
  • Os choros costumam ser durante o mesmo período do dia por várias vezes na semana;
  • O bebê expele gases durante o choro
  • O bebê pode ter dificuldade de mamar devido às dores (Plenilunia).

Causas de cólicas em bebês

O luftal bebê é um remédio seguro para aliviar cólica no recém nascido.
O luftal bebê é um remédio seguro para aliviar cólica no recém nascido.

Apesar de não se saber ao certo as causas das cólicas em bebês recém-nascido, especialistas acreditam que a sua causa principal é devido ao não amadurecimento do aparelho digestivo ainda nesse período.

Assim, quando o bebê começa a receber o leite materno ou fórmula como alimento, o organismo dele leva um tempo para aprender a processar e funcionar da forma adequada.

Com isso, acaba causando os gases e o desconforto gástrico, e até refluxo. No entanto, isso não é motivo de alarme, pois apesar de dar muita dó, as cólicas não são consideradas doença e não causam sequelas, além de desconforto.

Remédios para cólica de bebê

Luftal bebê entre muito soutros remédios podem ajudar a aliviar as cólicas.
Luftal bebê entre muito soutros remédios podem ajudar a aliviar as cólicas.

Todos esses sintomas podem mesmo apavorar qualquer papai e mamãe, até porque choro constante de bebê deixa qualquer doido. E ninguém gosta de deixar um bebê chorando.

Existem algumas medidas que podem aliviar as cólicas do bebê, como banhos mornos, massagens na barriga e compressas com bolsa de água morna na região do estômago.

Além disso, é importante prestar atenção se o bebê costuma engolir muito ar quando mama e sempre colocá-lo para arrotar após as mamadas.

Antigamente, era comum oferecer chás de ervas como camomila, alfazema e erva-doce, devido às suas propriedades calmantes para acalmar as cólicas do bebê.

Mas, há muitas  controvérsias com relação à essa prática por parte de pediatras, que alegam que qualquer outro tipo de alimento que não seja o leite pode ser prejudicial para o aparelho digestivo do bebê que ainda não está formado.

Assim, como é mesmo muito difícil lidar com a dor e o desconforto do recém-nascido, muitos pais optam por administrar remédios para aliviar esses sintomas, desde que recomendados pelo pediatra do bebê.

É o caso do Luftal bebê, muito popular para tratar estes tipos de distúrbios gástricos e intestinais.

Princípio ativo do Luftal bebê

O luftal bebê possui simeticona em sua composição.
O luftal bebê possui simeticona em sua composição.

O Luftal bebê possui o mesmo princípio ativo que o Luftal para adultos, porém a dosagem é diferente quando administrado em recém-nascidos. A substância, antes chamada de dimeticona, é a simeticona, de mesma ação.

Além da simeticona, o Luftal bebê possui outros ingredientes inativos em sua versão em gotas:

  • propilenoglicol;
  • óleo de rícino polioxietilado;
  • goma xantana;
  • celulose microcristalina;
  • metilparabeno;
  • propilparabeno;
  • ciclamato de sódio;
  • sacarina sódica;
  • essência de cereja;
  • corante FDC vermelho nº 40.

De acordo com a bula do medicamento, o Luftal é capaz de agir tanto no estômago quanto no intestino, diminuindo a tensão dos gases no organismo, os maiores responsáveis pelo desconforto abdominal.

A simeticona evita a formação de bolhas responsáveis pela retenção dos gases pelo organismo, sendo os sintomas mais comuns:

  • desconforto abdominal;
  • Estufamento abdominal;
  • dor e cólicas abdominais;
  • Flatulência (pum).

Dosagem ou posologia do Luftal bebê

A dosagem de luftal bebê é de 4 a 6 doses.
A dosagem de luftal bebê é de 4 a 6 doses.

De acordo com a bula do medicamento, a dosagem para o Luftal bebê é de 4 a 6 gotas, no máximo 3 vezes ao dia. No entanto, recomenda-se consultar o pediatra para que ele determine a dosagem mais adequada de acordo com o peso e idade do bebê.

Em geral, o remédio é pingado diretamente na boca do bebê ou misturado com um pouco de água ou leite antes de oferecer ao pequeno. Muitas mães costumam pingar diretamente na boa e depois dar o peito para ele mamar para diluir o gosto do remédio.

Reações adversas ao Luftal bebê

O luftal bebê não costuma apresentar muitas reações adversas.
O luftal bebê não costuma apresentar muitas reações adversas.

De acordo com a bula do remédio, o seu princípio ativo (simeticona) não é absorvido pelo organismo, e sendo assim, o medicamento não costuma apresentar efeitos colaterais. Mas como toda substância desconhecida no organismo pode promover reações alérgicas, as mais comuns são manchas avermelhadas e descamação da pele.

No entanto, ainda é importante ressaltar que o medicamento pode provocar broncoespasmos, devido ao estreitamento das vias aéreas e gerar uma dificuldade maior para respirar. Embora seja muito raro e anormal, neste caso o bebê deve ser encaminhado ao hospital imediatamente.

Outras reações adversas ao Luftal bebê também menos comum são a diarreia e a prisão de ventre, devido ao óleo de rícino (óleo de mamona) presente em sua composição, mesmo sendo uma substância “não ativa”.

O óleo de rícino é um ingrediente natural conhecido por suas propriedades laxantes, que mesmo em pequena quantidade, pode alterar o funcionamento do intestino ainda sensível do bebê.

No entanto, a diarreia é uma reação à superdosagem do Luftal bebê, portanto no caso de qualquer alteração intestinal no bebê, é só suspender o medicamento ou diminuir a sua dose.

Outras opções para aliviar cólicas no bebê

Há outras formas de aliviar as cólicas além do Luftal bebê.
Há outras formas de aliviar as cólicas além do Luftal bebê.

Além do Luftal bebê, há outros medicamentos similares e várias maneiras de aliviar as crises de cólicas nos bebês sem medicamento, como massagens banhos mornos, compressas, contato de pele, embrulhá-lo no cueiro, oferecer o peito e até modificar a sua alimentação se estiver amamentando.

1. Massagens no bebê

Aos primeiros sinais de desconforto ou agitação na criança, tire a roupinha dele e deite-o de barriguinha para cima em um local confortável e acaricie a sua barriga com as mãos em concha em movimentos circulares no sentido horário.

Vá deslizando suavemente as mãos, uma de cada vez, pela pela barriga do bebê da base das costelas em direção ao púbis, exercendo uma leve pressão.

O exercício de “bicicletinha” também pode ajudar. Ainda deitado, estique e dobre suas perninhas lentamente, pressionando levemente a barriga com as coxas, como se estivesse pedalando. O exercício pode ser feito várias vezes ao dia até para evitar a formação dos gases.

2. Banho morno

Prepare um banho gostoso de banheira com temperatura da água entre 36ºC e 37ºC. Para ajudar, torne o ambiente ainda mais agradável com uma música suave bem baixinha, diminua a luz e converse ou cante para ele. Tudo isso irá acalmá-lo e a água nessa temperatura próxima à corporal dá uma sensação muito parecida com o útero da mãe. Por isso, a experiência é relaxante e a cólica pode diminuir.

3. Compressas mornas

As compressas mornas podem funcionar, pois o calor promove a vasodilatação que facilita o fluxo sanguíneo, relaxando a musculatura e diminuindo o desconforto abdominal. Faça compressas com uma fralda passada a ferro ou com uma bolsa térmica, tomando muito cuidado com a temperatura para não queimar o bebê.

4. Contato de pele

Coloque o bebê deitado de bruços, sem roupa, sobre o seu peito ou do pai, pois o contato de pele transmite uma sensação aconchegante e acalma o bebê, de forma que ele consegue expelir mais facilmente os gases.

5. “Pacotinho” com o cueiro

Embrulhar o corpo do bebê no cueiro como se fosse um pacotinho proporciona uma sensação de aconchego e segurança, diminuindo a irritabilidade e a agitação. Em seguida, passeie com ele pela casa, segurando-o de bruços, com a barriguinha apoiada nas suas mãos, a posição e o contato aquece o abdômen, confortando ainda mais.

6. Mamar no peito

O bebê costuma se acalmar quando mama, pois esse estímulo oral do movimento de sucção causa enorme satisfação, ajudando a amenizar a cólica. Caso ele já tenha mamado e esteja satisfeito não irá funcionar. Além disso, às vezes as cólicas são tão intensas que o bebê se recusa a pegar o peito.

7. Evitar engolir ar

Ao mamar, o bebê costuma engolir uma certa quantidade de ar que pode provocar gases e agravar as cólicas. Por isso, é preciso interromper as mamadas para fazê-lo arrotar. Para aqueles que não mamam no peito, há mamadeiras especialmente projetadas para evitar que ele engula tanto ar na hora de mamar.

8. Modificar a alimentação

Não há nada comprovado sobre a relação dos alimentos ingeridos pela mãe com as cólicas no bebê. No entanto, evitar certos alimentos conhecidos por provocar gases pode fazer a diferença. Produtos industrializados que contêm corantes, conservantes e estabilizantes, também podem dificultar a digestão do bebê.

9. Funchicórea

O Funchicórea é um remédio natural em pó, feito com extratos de folhas de chicória, flores de funcho e raiz de ruibarbo triturados. Apesar de fabricado há mais de 70 anos, já foi proibido de ser comercializado, mas está novamente liberado. O remédio é administrado puro na chupeta ou diluído em 40ml de água. Consulte antes o seu pediatra.

10. Mylicon

O Mylicon é outro medicamento à base de simeticona muito similar ao Luftal bebê e que não causa sonolência. Ele é encontrado tanto em suspensão oral ou em gotas, sem precisar ser diluído. A recomendação é de duas a três gotas, dependendo do peso do bebê.

11. Colikids

O Colikids da Ache possui uma composição diferente do Mylicon e do Luftal bebê, pois sua composição é à base de Lactobacillus reuteri, probióticos que auxiliam no amadurecimento da flora intestinal do bebê, aliviando os sintomas da cólica.

12. Colic Calm

O Colic Calm é medicamento homeopático, fitoterápico,  recomendado para tratar cólicas,  aliviar dores de estômago, gases, soluços, refluxos e, até mesmo da primeira dentição do bebê. Dentre os seus ingredientes estão ervas como a camomila, erva-doce, alcaravia, gengibre, hortelã, erva-cidreira, aloe-vera, abrunho, carvão vegetal.

Importante: Nunca automedique o seu bebê sem antes consultar o médico pediatra para que ele indique a dosagem adequada e dê as orientações necessárias. Somente um especialista é capaz de avaliar as condições do seu bebê para cada medicamento

1 Comment
  1. Alícia U. says

    Uma matéria muito interessante informativa sobre o medicamento e seu uso nos bebês.

Leave A Reply

Your email address will not be published.