Take a fresh look at your lifestyle.

Falta de desejo masculino como tratar (libido)

Falta de desejo masculino, como tratar? Ao contrário que muita gente pensa, a falta de desejo sexual não atinge apenas as mulheres. Muito homens sofrem dessa mesma condição, o desejo hipoativo. Sim, ela existe. O problema é que os homens não se sentem à vontade para falar desse assunto, afinal ninguém gosta de admitir uma fraqueza nessa área, com receio de que isso possa ferir a sua virilidade.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), os homens levam cerca de um ano para conversar sobre suas dificuldades sexuais com suas parceiras ou parceiros, e mais tempo ainda para ir ao médico. No entanto, o problema é mais comum do que se imagina, isto é, cerca de 20% dos homens vivenciam episódios de falta de desejo sexual em algum momento da vida.

Estudo conduzidos por especialistas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e do ProSex (Projeto Sexualidade) da USP, afirmam que essa falta de desejo masculino pode ser provocada por diferentes fatores, e não deve ser ignorada.

A prática sexual é fundamental para o bem estar de um indivíduo, seja ele homem ou mulher. Portanto, se abster de sexo por falta de desejo pode prejudicar muito os relacionamentos e a auto estima das pessoas envolvidas neles.

Felizmente, hoje existem muitos tratamentos disponíveis para ajudar os homens recuperarem a libido e manterem uma vida sexual saudável. Sendo assim, falta de desejo masculino, como tratar? Leia o resto do artigo abaixo para conhecer todas as suas causas e alternativas para não deixar se abater pela condição.

Vamos lá!

O que é falta de desejo masculino?

falta de desejo masculino como tratar
A falta de desejo sexual masculino pode ser acarretada pelo estresse.

O libido, anseio ou desejo, é a energia aproveitável para os instintos de vida, como o desejo de conhecimento, o de dominar e o sexual. Em geral, nossos libidos possuem grande mobilidade ou facilidade de alternar o foco. No caso do libido sexual, a sua diminuição acarreta na redução do impulso sexual, ou seja, na falta de desejo.

De acordo com Freud, o pai da psicanálise, o libido ou desejo sexual está vinculado a aspectos emocionais e psicológicos, sendo o impulso vital para a autopreservação da espécie humana. Em outras palavras, a libido é a energia sexual focada no “impulso” do desejo e do prazer.

Segundo a sua teoria da libido, ela se desenvolve na infância por fases distintas em várias etapas características do desenvolvimento: oral, anal, fálica, latente e genital, e nos acompanha para o resto da vida ao passo que vamos nos transformando hormonalmente.

Sendo assim, a diminuição ou falta de desejo pode ter inúmeras causas e estar relacionada a muitas doenças mentais e psicossomáticas, como por exemplo:

  • Depressão;
  • Anorexia;
  • Cirrose;
  • Hemocromatose;
  • Hipogonadismo;
  • Falta de Testosterona e efeminização.

Por outro lado, algumas doenças também podem provocar um aumento excessivo da libido, por exemplo:

  • Obsessão;
  • hipertireoidismo leve;
  • Sífilis;
  • Ninfomania /Satiríase.

Falta de desejo masculino X Impotência sexual

falta de desejo masculino como tratar
A impotência pode levar à falta de desejo sexual masculino.

É comum as pessoas confundirem a falta de desejo com problemas de disfunção erétil ou impotência sexual. No entanto, são duas coisas diferentes. Enquanto a disfunção erétil é a dificuldade ou impossibilidade persistente de ter e manter uma ereção, a falta de desejo está ligada ao impulso sexual, à falta de estímulo para iniciar a relação.

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, 52% dos homens acima dos 40 anos têm algum grau de disfunção erétil, sendo que 30% deles acreditam ser algo natural da idade.

Contudo, a impotência ou disfunção erétil pode levar à falta de desejo, pois muitos homens nessa condição se sentem responsáveis e na obrigação de manter a ereção, e acabam prejudicando o desejo sexual por de falhar.

A solução é procurar um médico especialista (urologista) e realizar todos os exames para descobrir a origem da condição. Caso o motivo seja físico, existem muitos medicamentos que podem resolver. Por outro lado, se for de natureza psicológica, a terapia e algumas mudanças de hábitos podem ajudar.

Leia também: Como ser boa de cama? Confira essas dicas especiais!

Causas da falta de desejo masculino

falta de desejo masculino como tratar
Existem muitas causas de falta de desejo masculino, como tratar também.

A falta de desejo masculino pode ter muitas causas possíveis, que incluem fatores físicos (excesso de peso, fadiga), psicológicos (depressão, estresse, ansiedade ou problemas de relacionamento), uso de medicamentos (para o tratamento da depressão, ansiedade ou câncer da próstata avançado), doenças e baixos níveis de testosterona (hormônio masculino).

Além disso, o impulso sexual pode variar bastante no decorrer das fases da vida, sendo que tende a diminuir gradualmente à medida que o homem envelhece. Em algumas ocasiões, a falta de desejo pode estar relacionada a problemas resultantes de experiências sexuais traumáticas na infância ou ao longo da vida, ou até supressão de pensamentos sexuais aprendida.

No entanto, na maioria dos casos, a falta de desejo masculina se desenvolve depois de anos de vida sexual normal. Quando isso acontece, é comum o homem perder o interesse no sexo e passar a manter relações sexuais com menos frequência ou nenhuma, mesmo sendo estimulados.

Por outro lado, alguns homens, mesmo com a diminuição da libido, podem manter a função sexual e empenhar-se na atividade sexual para satisfazer sua parceira.

A boa notícia é que, dependendo da causa, há muitas formas de reverter esse quadro, através de aconselhamento psicológico, medicamentos ou até terapia de suplementação de testosterona.

Diagnóstico para a falta de desejo masculina

Para detectar a falta de desejo masculina, faz-se um exame de sangue pode medir o nível do hormônio testosterona no sangue.

Quando há uma baixa nos níveis de testosterona (hipogonadismo), o médico ainda irá se basear na descrição dos sintomas para investigar mais a fundo o que pode estar causando essa condição.

Fatores de risco para a falta de desejo masculina

A falta de desejo masculina pode causar grandes incômodos e insatisfações na pessoa e também no relacionamento como um todo. Mas, na maioria das vezes, o quadro se agrava por falta de informação ou de conversa sobre o assunto.

Muitos homens não se sentem confortáveis para falar a respeito ou não têm com quem falar, mas é fundamental tentar entender a razão dessa falta de desejo sexual. Existem muitos fatores que podem estar contribuindo para a falta de desejo masculina, e o homem pode não se dar conta. São eles, a seguir:

Sexo por obrigação

Muitas vezes, a relacionamento conjugal passa por inúmeras fases, e o desejo muda de acordo com essas fases. Assim, nem sempre nos sentimos no ápice do apetite sexual.

Assim, o fato de ter que estar sempre disponível e com vontade de fazer sexo sempre que a companheira (o) quiser, pode acarretar justamente o sentimento contrário. A obrigação é inimiga do desejo natural, podendo contribuir bastante para a diminuição do libido.

Estresse

Em muitos casos, o estresse de uma rotina atribulado é o dos grandes responsáveis pela falta de desejo sexual masculina. Muita gente não sabe, mas além do estresse extenuar a pessoa tanto fisicamente quanto mentalmente, deixando-a sem disposição para o sexo, o estresse crônico pode também reduzir os níveis da testosterona.

Dessa forma, o estresse pode afetar a vida sexual do casal, diminuindo ou até fazendo com que o homem perca seu desejo sexual natural. Tente quebrar a rotina e relaxar.

Transtornos de ansiedade

Normalmente, as pessoas que sofrem com sintomas de ansiedade, como por exemplo, síndrome do pânico e transtorno obsessivo compulsivo, também costumam apresentar episódios de falta de desejo. Em geral, o apetite sexual diminui devido ao estado psicológico.

Andropausa

A mulher passa por mudanças hormonais durante a menopausa. Já o homem passa pela Andropausa entre os 45 e 55 anos, fase na qual ocorrem diversas alterações fisiológicas no organismo deles. Muitas dessas alterações afetam os hormônios, e diminuem a produção de testosterona, que pode contribuir bastante para a falta de desejo masculino.

Queda de testosterona

Além da Andropausa, os homens passam a produzir menos testosterona a partir dos 30 anos, caindo cerca de 1% ao ano essa produção. Normalmente, quando a testosterona está em baixa, o homem vivencia sintomas de irritabilidade, fadiga, indisposição, gordura abdominal, perda de massa muscular e óssea e claro, uma queda de libido.

Em geral, essa falta de desejo masculino pode ser tratada com reposição hormonal através de medicamentos injetáveis ou por meio de um adesivo na axila.

Excesso de peso

O excesso de peso ou a obesidade também pode contribuir para a falta de desejo sexual masculina, por falta de muitas formas. Em geral, o desejo sexual diminui por falta de energia no desempenho da atividade ou por motivos psicológicos de aceitação do corpo.

Além disso, pessoas obesas que sofrem com a alteração da tireóide, aumento de colesterol, triglicérides e diabetes podem contribuir para a diminuição da testosterona.

Tabagismo

Fumar causa disfunção erétil aguda e crônica, pois a nicotina e o alcatrão presentes no cigarro entram na corrente sanguínea e se depositam nos tecidos vasculares penianos, tornando-os fibrosos e incapazes de distender. Dessa forma, a ereção fica prejudicada.

O cigarro também prejudica a irrigação sanguínea, que por sua vez, também dificulta a ereção. A disfunção erétil acaba provocando a falta de desejo masculina.

Depressão

A depressão é uma doença muito séria capaz de causar isolamento, falta de apetite, dificuldade para realizar tarefas cotidianas, sentimentos de impotência, tristeza e culpa.

Dessa forma, o apetite sexual é totalmente prejudicado, devido ao estado de espírito da pessoa. No entanto, o tratamento para depressão é feito com medicamentos que também afetam a libido, por diminuir os níveis de testosterona.

Drogas e álcool

As drogas e o álcool em doses elevadas influenciam a liberação de hormônios, como testosterona, progesterona e serotonina, que podem causar uma queda de libido e desencadear a falta de desejo sexual. Além disso, as drogas e o álcool podem alterar o fluxo sanguíneo, e com isso prejudicar a ereção e ejaculação.

Medicamentos

É fato que algumas medicações utilizadas para o tratamento de doenças acarretam em alguns efeitos colaterais que podem contribuir para a falta de desejo sexual. É o caso dos medicamentos para hipertensão arterial, úlceras e depressão, que podem afetar os receptores da serotonina, neurotransmissor responsável por regular sono, humor e apetite.

HPB (Hiperplasia Prostática Benigna)

Ao contrário de algumas partes do corpo que param de se desenvolver após a idade adulta, a próstata continua crescendo. No entanto, quando a próstata cresce demais, ela comprimi a uretra, o canal condutor da urina.

Os principais sintomas dessa condição são sensação de bexiga cheia e necessidade constante de urinar, porém com dificuldade. Além disso, a HPB muitas vezes leva à disfunção erétil e queda de libido.

Existe remédio para falta de desejo masculino?

Existem várias formas de tratamento para as causas da queda do libido, não propriamente para curar a falta de desejo masculino. Por isso, qualquer medicamento para o tratamento da falta de desejo sexual masculino deve ser prescrita por um médico especialista que saiba exatamente o que está causando isso e como tratar a condição.

Não recomenda-se tomar medicações que interferem no desejo sexual, pois pode alterar os hormônios e acarretar outros problemas. Muitas vezes a solução é mais simples, e algumas sessões de terapia nos primeiros episódios podem já ajudar.

Alguns medicamentos, como por exemplo o Viagra, podem caté ausar efeitos colaterais desagradáveis e perigosos, como os seguintes abaixo:

  • AVC;
  • Paradas cardíacas e respiratórias;
  • Rompimento de artérias;
  • Lesões na córnea.

Falta de desejo masculino: Como tratar

Dependendo da causa, o tratamento pode variar completamente. Se a causa for psicológica, por exemplo, indicam-se terapias comportamentais. A terapia vai ajudar a pessoa a pontuar os problemas e o casal a resolverem juntos aquilo que está afetando o relacionamento.

Na maioria dos casos, o estresse tem um papel fundamental na falta de desejo masculina, impactando na função física da pessoa.

Caso o nível de testosterona for detectado baixo, é possível administrar uma suplementação de testosterona (adesivo, gel ou injeção). Já se a causa estiver relacionada à algum medicamento, talvez o médico tenha que testar um medicamento diferente.

Em todos os casos, é fundamental procurar um tratamentos mais adequado para o seu caso, só assim poderá ter uma vida sexual mais ativa e com muito mais prazer. Veja algumas opções abaixo:

1 – Flibanserin

O flibanserin é um medicamento desenvolvido pelo laboratório alemão Boehringer Ingelhein, e é capaz de modular a disponibilidade da serotonina no organismo, ajudando no aumento da dopamina, fundamental para estimular o desejo sexual.

2 – Terapias para aliviar estresse

A terapia pode ajudar a aliviar o estresse quando a falta de desejo sexual estiver relacionado à isso. Além disso, o alívio do estresse pode ser o pontapé inicial para a vontade de transar voltar a aparecer.

Há diversas opções de terapia muito eficazes que podem te ajudar nesse processo de liberar a mente. As massagens relaxantes, por exemplo, são excelentes para o alívio do estresse.

3 – Atividades físicas

Muitas vezes, a falta de desejo masculino está relacionada com a baixa produção de dopamina. Neste caso, praticar atividades físicas é excelente para equilibrar os níveis de serotonina e dopamina no organismo, devolvendo mais energia e disposição para estimular o seu desejo para voltar a ter uma vida sexual ativa e saudável.

Leave A Reply

Your email address will not be published.