Take a fresh look at your lifestyle.

Descamação do Couro Cabeludo: Tratamento! Dicas aqui!

Já sabemos que o mercado estético está cheio de tratamentos de beleza para a pele, corpo e os cabelos. Principalmente, ao que se refere aos procedimentos químicos para coloração e mudanças na estrutura dos fios de cabelos. O problema é que na maioria dos casos, todos esses procedimentos acabam resultando na descamação do couro cabeludo, não importando muito as técnicas empregadas ou os produtos utilizados.

Não obstante, mesmo não submetendo os cabelos a nenhum procedimento químico, essa descamação pode ocorrer por inúmeros motivos, sendo um problema até bem mais comum do que muita gente imagina.

Tanto é verdade que, aproximadamente 50% da população mundial já sofre dessa condição, popularmente conhecida por caspa (dermatite seborreica), que costuma ocorrer com mais frequência devido ao aumento da oleosidade durante o inverno, por causa do clima e do ar secos.

Além disso, é nesse mesmo período que as pessoas passam a tomar banhos mais quentes ou dar intervalos maiores entre as lavagens, o que acaba provocando esse aumento de oleosidade e desidratação da pele, levando a descamação do couro cabeludo.

No entanto, as causas da caspa podem ser tanto de caráter natural, mecânico como genético, provocando vários incômodos, não só estéticos, mas muito piores como coceira intensa, vermelhidão e irritação no couro cabeludo, além da descamação.

Por esta razão, vamos falar abaixo sobre todas as possíveis causas da descamação do couro cabeludo, como tratar, prevenir e se livrar desse problema de uma vez por todas. Confira abaixo!

Caspa, o que é isso?

descamação do couro cabeludo: caspa
A descamação do couro cabeludo pode ser decorrente da caspa.

É perfeitamente normal a pele do couro cabeludo passar por um processo de regeneração e eliminar as células mortas através da sua descamação. Isso acontece para que novas células tomem o lugar das células mortas. No entanto, esse é um processo natural em que a troca de tecidos não é percebida a olho nu.

No caso da caspa, a descamação do couro cabeludo e em outras partes do corpo é visível, caracterizada por uma espécie de “casquinhas” ou “flocos brancos” minúsculos, secos e fininhos, parecendo poeira branca, facilmente observadas no pescoço e nos ombros. Além disso, ainda existe a caspa gordurosa, causada por escamas embebidas em sebo, aderentes ao couro cabeludo e à raiz dos cabelos.

Normalmente, a caspa é causada por um processo inflamatório na pele, mais conhecido por dermatite seborreica, uma doença crônica que costuma aparecer e desaparecer espontaneamente em diferentes períodos da vida, causando lesões avermelhadas e coceira intensa no local, além da descamação.

No entanto, caspa e dermatite seborreica não são a mesma coisa. A dermatite seborreica, por exemplo, é úmida e mais grave que a caspa, podendo afetar também as sobrancelhas, a maçã do rosto, a barba, o nariz, a região atrás das orelhas, as costas, as dobras da pele e a região entre os seios.

Já a caspa é uma manifestação suave da dermatite seborreica, proveniente do aumento de oleosidade no couro cabeludo e da descamação intensificada dessa condição, entre outras causas que veremos a seguir.

Causas da descamação do couro cabeludo

descamação do couro cabeludo: causas
A descamação do couro cabeludo pode ser decorrente de vários fatores diferentes.

Infelizmente, a caspa ou a dermatite seborreica não têm cura, podendo afetar homens e mulheres em qualquer idade de todos os tipos de cabelos (oleosos ou secos).

Não importando o processo natural ou inflamatório, a descamação do couro cabeludo não possui uma causa específica. O que se sabe é que o seu aparecimento pode estar relacionado a fatores genéticos (hereditariedade), alterações hormonais, mudanças climáticas bruscas, estresse, reação alérgica ou provocadas por excesso de químicas.

Em alguns casos, a descamação do couro cabeludo pode estar relacionada a proliferação de fungos, como por exemplo Malassezia globosa ou Pityrosporum, que vivem em uma certa quantidade controlada na pele, mas que por alguma descompensação tem a sua população aumentada provocando a descamação.

Além disso, o excesso de oleosidade na raiz capilar e nos fios, assim como o tipo de pele e alguns medicamentos ou produtos de beleza também podem contribuir para o aparecimento da caspa.

Outros fatores cotidianos como a falta de higiene adequada, banhos muito quentes, uso excessivo e incorreto de secadores e chapinhas, por exemplo, também podem acarretar no problema.

E por fim, uma alimentação rica em gordura, além de disfunções nas glândulas sebáceas também podem provocar descamação do couro cabeludo.

Descamação do couro cabeludo de caráter natural

Já vimos que o excesso de descamação do couro cabeludo pode estar relacionado ao aumento da oleosidade na região, provocando um acúmulo de sebo na raiz. Assim, esse aumento pode ser de carater natural do organismo.

Em condições naturais, as glândulas sebáceas produzem sebo para hidratar o couro cabeludo e proteger contra o ressecamento. No entanto, ao se decompor o sebo é transformado em ácido oleico, que em algumas pessoas mais sensíveis pode causar irritação e provocar a descamação do couro cabeludo para evitar a inflamação.

Descamação do couro cabeludo de caráter mecânico

Já deu pra perceber que os procedimentos químicos para mudar a estrutura dos fios de cabelos, seja para alisar ou relaxar os cachos, estão em alta. A escova progressiva, por exemplo, como outras técnicas de alisamento permanente ou relaxamento para diminuir o volume, podem provocar descamações do couro cabeludo.

Isso porque alguns desses procedimentos utilizam químicas muito fortes que podem causar uma reação alérgica ou efeitos colaterais, como o formol, por exemplo. Apesar de ser uma substância proibida pela vigilância sanitária por causar inúmeros danos à saúde, o formol é ainda utilizado em muitos desses procedimentos.

A melhor opção é optar por procedimentos que utilizam químicas menos nocivas para alisar ou relaxar os fios, como o tioglicolato de amônia ou a guanidina.

No entanto, nem sempre a descamação do couro cabeludo está relacionada à uma reação alérgica. Ela pode ser uma reação do organismo de renovação celular em detrimento da irritação causada pela química e do calor intenso do secador, necessário para ativar o alisamento.

Normalmente, esse calor agride o couro cabeludo ressecando a pele e provocando a descamação e feridinhas. Além disso, a descamação pode ocorrer pelo excesso de oleosidade causada pelo selamento dos fios promovido pela progressiva, que impermeabiliza o cabelo impedindo a sua lubrificação. Assim, o sebo se acumula no couro cabeludo, aumentando a oleosidade e favorecendo a sua descamação.

Descamação do couro cabeludo de caráter genético

Muitas vezes, a descamação do couro cabeludo pode estar sendo causada por uma doença de pele hereditária mais grave conhecida por Psoríase, que uma vez atingindo o couro cabeludo, promove a descamação do couro cabeludo leve e fina, mas também em forma de placas espessas e avermelhadas cobertas por escamas brancas com tom prateado.

De acordo com dermatologistas da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a Psoríase é causada por histórico familiar em 30% e 40% dos casos; estresse que debilitam o sistema imunológico; clima seco e frio, que deixa a pele mais ressecada; consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo.

No couro cabeludo, costuma ocorrer em 50% a 80% dos casos de quem já possui a doença, podendo cobrir todo o couro cabeludo e alastrar até a testa, nuca e o redor das orelhas.

Como tratar a descamação do couro cabeludo

descamação do couro cabeludo: tratamento
A descamação do couro cabeludo não tem cura mais pode ser tratada de diferentes formas.

Como a descamação do couro cabeludo não é uma doença, propriamente dita, mas uma reação do organismo a outros fatores, não há um cura definitiva. Mas existem forma de controlar e até reduzir os sintomas da seborréia ou caspa, sejam elas causadas por motivos naturais, genéticos ou pelo excesso de química.

De uma forma geral, o dermatologista costuma prescrever medicamentos tópicos ou orais específicos e shampoos anticaspa, para diminuir a divisão celular e controlar a oleosidade através de princípios ativos em suas composições.

Além disso, é fundamental tomar alguns cuidados como lavar os cabelos sempre com água morna, evitar o secador e a chapinha e deixar a raiz do cabelo respirar dando pausas maiores entre os produtos utilizados e procedimentos químicos, como coloração ou descoloração, alisamentos, entre outros.

Veja abaixo mais alguns cuidados diários que podem ser tomados para a prevenção e controle da descamação do couro cabeludo:

1 – Utilize produtos específicos para o seu tipo de cabelo

Esse é um dos cuidados mais simples que podemos ter e um dos mais negligenciados. Existe todo um estudo e propósito em criar produtos específicos para cada tipo de cabelo. Isso porque cada um deles terá uma formulação diferente a fim de beneficiar os fios com suas necessidades específicas.

Assim, o uso inadequado de shampoos, condicionadores, leave-ins e máscaras hidratantes, entre outros produtos para o cabelo, podem causar ou agravar a descamação do couro cabeludo, ressecando ou aumentando a oleosidade na raiz dos cabelos.

Por esta razão, sempre utilize produtos adequados ao seu tipo de cabelo e peça orientação ao seu dermatologista ou cabeleireiro de confiança, caso desconheça as necessidades dos fios.

2 – Mantenha os cabelos limpos

Muita gente acredita que lavar os cabelos diariamente pode fazer mal aos cabelos. Muito pelo contrário, pois os cabelos secos ou oleosos quando lavados eliminam os resíduos e reduzem a oleosidade excessiva.

No caso do couro cabeludo descamando, lave os cabelos diariamente com um shampoo mais leve, de alta qualidade e anticaspa para tratar o problema e ajudar a melhorar a aparência do cabelo.

No caso de uma progressiva, você pode lavar os cabelos com mais frequência nos primeiros dias para evitar a oleosidade excessiva dos fios alisados.

3 – Não utilize shampoo antiresidual em excesso

Manter os cabelos limpos é essencial para prevenir a descamação do couro cabeludo, mas utilizar os shampoos anti resíduos em excesso é prejudicial. Isso porque este tipo de shampoo abre as cutículas e retira toda a oleosidade do cabelo, ressecando os fios demais. Cabelos muito oleosos é ruim, mas eles precisam de uma quantidade mínima de óleos para se manterem saudáveis e protegidos.

4 – Massageie o couro cabeludo

Ao lavar os cabelos, tente massagear levemente o couro cabeludo com as pontas dos dedos para acalmar a pele irritada e estimular a circulação sanguínea, a fim de aumentar o nível de oxigenação, que ajuda na distribuição uniforme de ingredientes ativos em todo o couro cabeludo e comprimento dos fios.

5 – Não utilize produtos cosméticos em excesso

O uso em excesso de produtos no couro cabeludo podem prejudicar os cabelos e aumentar a sua oleosidade, aumentando a descamação no couro cabeludo. Para evitar o problema, especialistas recomendam lavar os cabelos a partir da raiz, aplicando o shampoo nessa região e deixando o produto escorrer até as pontas.

Já o condicionador e máscaras hidratantes devem ser aplicados somente no comprimento do cabelo, evitando atingir o couro cabeludo.

6 – Não promova a fricção no couro cabeludo

Ao lavar os cabelos, evite esfregar o couro cabeludo com força para não promover a fricção nessa região. Os fios de cabelo quando molhados ficam mais propenso aos danos, como eletricidade, quebras e elasticidade.

Além disso, a fricção do couro cabeludo pode promover o aumento da oleosidade ou irritar ainda mais a pele que já está descamando, podendo até incentivar a queda de cabelo. Assim, a maneira como você vai manipular o couro cabeludo durante as lavagens faz toda a diferença para o organismo recuperar a área prejudicada.

Dessa forma, ao aplicar o shampoo, massageie suavemente o couro cabeludo com as pontas dos dedos (nunca as unhas) e procure não arrancar as casquinhas da raiz ou coçar para não machucar ainda mais o local.

7 – Promova esfoliações capilares

Fazer esfoliações no couro cabeludo a cada 15 dias pode ajudar a eliminar as células mortas e auxiliar a combater a oleosidade, aliviando a descamação do couro cabeludo.

8 – Não lave os cabelos com água quente

No calor é mais fácil, mas lavar os cabelos com água morna ou fria é a melhor opção para manter os fios saudáveis. A água quente aumenta a oleosidade e o ressecamento do couro cabeludo.

9 – Abandone o secador e chapinhas

Caso esteja com o couro cabeludo descamando, dê um tempo no uso de secador e chapinha, pois o calor emitido por esses aparelhos estimulam o ressecamento, prejudicando e irritando ainda mais o couro cabeludo.

10 – Respeite as pausas entre químicas

Caso esteja sofrendo com a descamação do couro cabeludo, as pausas mais longas entre procedimentos químicos, como tinturas, descoloração ou reflexos, escovas progressivas, alisamentos, etc, são fundamentais.

Isso porque as substâncias presentes na composição dos produtos usados nestes tratamentos, além de danificar os fios, podem irritar ainda mais a pele sensível do couro cabeludo e agravar a descamação.

11 – Proteja o couro cabeludo da exposição solar

Todo mundo sabe que se proteger do sol é fundamental, mas no caso de descamação do couro cabeludo é ainda mais importante. Isso porque o calor dos raios solares acabam estimulando a produção de óleos na região e o seu ressecamento, deixando-a mais propensa às descamações.

Assim, utilize sempre produtos para o cabelo com proteção solar e acessórios como chapéus, lenços e bonés.

12 – Adote hábitos saudáveis

Hábitos saudáveis são fundamentais para manter a saúde do organismo como um todo. Assim, uma alimentação saudável não pode faltar para que os nutrientes cheguem também até o couro cabeludo.

Assim, tente evitar alimentos gordurosos, além do cigarro e o álcool, que impedem prejudicam a ação de vitaminas do complexo B, responsáveis pela raiz do cabelo. Pratique exercícios também para melhorar a oxigenação sanguínea, queimar gordura e manter as vias desobstruídas.

Dicas caseiras para prevenir a descamação do couro cabeludo

descamação do couro cabeludo: receitas caseiras
Faça hidratações e umectações caseiras para prevenir a descamação do couro cabeludo.

Na maior parte dos casos, esquecemos de cuidar do couro cabeludo e nos concentramos apenas na saúde dos fios. Contudo, o couro cabeludo é a base da fibra capilar que mantém os fios saudáveis.

No caso de quem costuma ter muita química nos cabelos, como coloração e alisamentos, os fios acabam ficando mais prejudicados, tornando-se mais duros, ressecados e desidratados. Por isso, as hidratações são essenciais e devem ser mais frequentes.

Felizmente, existem várias receitas caseiras de máscaras hidratantes e umectações para tipo de cabelo. O ideal é incorporá-las na sua rotina de beleza capilar, fazendo com que sejam parte de um cronograma capilar, pelo menos uma vez por semana.

As umectações com óleos naturais, por exemplo, são excelentes opções para limpar os fios e tratar a descamação do couro cabeludo. O óleo de coco ou de glicerina no cabelo são ótimos para fazer essa umectação capilar em casa. Para fazer a sua, siga o passo a passo a seguir:

  • Com a ajuda de um pente, divida os cabelos em pequenas mechas e aplique o óleo de sua preferência no couro cabeludo, não lavado, em movimentos suaves e circulares, massageando bem a área para estimular a circulação sanguínea;
  • Deixe o óleo agir, por pelo menos duas horas, ou coloque uma touca plástica e durma com o produto nos cabelos;
  • Para retirar o óleo, passe antes um condicionador bem leve nos cabelos por inteiro e deixe agir por 20 minutos;
  • Enxágue com água fria ou morna em abundância e finalize lavando com um shampoo anti-resíduos suave.

Importante:A hidratação capilar caseira com óleo é outra excelente opção para fechar as escamas das fibras capilares e não comprometer a duração da escova ou acelerar o retoque do alisamento.

E aí, você também já sofreu com descamação do couro cabeludo? Conte pra gente como solucionou o problema!

Referências:

Sociedade Brasileira de Dermatologia
Dr. Drauzio Varella
AbcMed

Leave A Reply

Your email address will not be published.