Take a fresh look at your lifestyle.

Cauterização no útero: Dói? Cuidados e preços

Não importa a forma como você cuida da sua saúde, a cauterização do útero pode ser necessária em certos casos. Afinal, durante a vida, é normal que muitas mulheres tenham inflamações na região, sejam menos ou mais graves.

Assim, para você ficar informada sobre o assunto, confira este artigo e saiba mais sobre a técnica, seus sintomas e orientações sobre cuidados e o preço do procedimento.

Se não tratadas da forma correta, doenças como a cervicite podem se tornar crônicas e, como demais feridas na região do colo do útero, podem levar à necessidade da realização de uma cauterização no útero.

A cauterização no útero

Com o passar do tempo, toda mulher está predisposta a desenvolver feridas e lesões no útero, em grande parte decorrentes de fatores como infecções, uso de anticoncepcionais e até mesmo casos de HPV, exigindo um tratamento através de cauterização no útero.

Apesar de o nome do procedimento criar um certo medo em grande parte das mulheres, ele é bem seguro, simples e ainda é eficaz para a regeneração local.

Indicações para cauterização no útero

Quadros infecciosos são muito comuns em mulheres, pois feridas no útero costumam atingir inclusive a parcela de jovens que fazem uso regular de anticoncepcionais, embora seu aparecimento ainda esteja ligado a gestantes.

Isso se deve ao aumento nos níveis de estrogênio, um dos motivos que geram essas lesões. Com esse quadro de inflamações ainda decorrente de casos de HPV e demais infecções vaginais, ainda fica difícil detectar sintomas mais precisos, como sangramento durante relações sexuais, dores e corrimentos.

Em todos esses casos, o processo de cauterização no útero é extremamente indicado, ainda mais para se evitar que as feridas fiquem maiores e causem problemas e transtornos regulares.

No caso do surgimento de lesões por HPV, o procedimento é vital para tratar as células e combater ocorrências de câncer uterino. Num procedimento bem-sucedido, os tecidos lesionados são cauterizados para estimular a renovação das células e, assim, elas reduzirão o tamanho da ferida atual.

Sintomas que exigem o procedimento

É vital saber a hora certa de procura ajuda médica. Afinal, os sintomas que listamos abaixo ajudam a indicar qual o grau de seriedade de hemorragias e infecções. Em algum desses casos, você precisa procurar um hospital para dar início a um tratamento correto e evitar que haja maiores complicações.

Assim, fique atenta a esses sinais:

  • Sangramento excessivo;
  • Vermelhidão na região;
  • Febre alta;
  • Cansaço físico;
  • Corrimento seguido de mau cheiro.

A técnica de cauterização no útero

Como precisamos ressaltar, o processo de cauterização no útero é simples, eliminando a necessidade de que a paciente fique internada. Entretanto, para evitar que haja desconfortos e dores, é necessária a aplicação de anestesia local e não demanda demais preparações.

Caso você precise passar pelo procedimento, lembre-se de que é inviável realizar a cauterização no útero quando há menstruação ou sinais de demais infecções genitais.

Para começar, a paciente fica na posição ginecológica para o profissional fazer uma dilatação do canal vaginal e a anestesia no local, seguido da técnica de cauterização, onde será necessário o uso de métodos como a aplicação de laser, ácidos ou a eletro-cauterização.

Isso pode depender conforme o número de camadas de tecido a serem tratadas e o grau das feridas, podendo, claro, variar de caso para caso e segundo o que o médico decidir ser o melhor.

Após um tempo médio de cerca de meia hora, o procedimento termina, deixando a paciente livre para voltar às atividades do dia a dia. Como vamos recomendar mais à frente, o importante é não ter relações por um tempo.

Cuidados antes da cauterização no útero

Assim como o processo, na hora de fazer uma cauterização no útero, os cuidados são simples e não exigem preparação para a paciente, a não ser a presença de menstruação ou sinais de alguma infecção local.

Entretanto, caso a mulher apresente corrimentos com mau cheiro, irritabilidade ou ardência, será preciso a realização de uma avaliação. Isso porque qualquer procedimento pode chegar a piorar possíveis infecções já presentes.

Cuidados na recuperação

Antes de entrarmos em detalhes específicos, o mais importante no período pós-procedimento de uma cauterização no útero é evitar algumas atividades normais a qualquer mulher, como as seguintes:

  • Relações sexuais;
  • Usar absorventes íntimos;
  • Realizar duchas vaginais.

O normal, depois de uma cauterização no útero, é a paciente ter sangramentos por alguns dias e ainda sentir algumas dores abdominais, que podem ser aliviadas com a recomendação médica de analgésicos. Como complemento básico desses cuidados, toda mulher precisa seguir algumas regras sobre os medicamentos indicados para a fase de recuperação, como os cremes vaginais com ação cicatrizante.

Seguindo esses cuidados, fica mais fácil evitar que possam surgir novas complicações, como certas infecções seguidas de febre, aumento do sangramento, vermelhidão local e até corrimentos. Caso ainda haja sinais de descamação nos genitais, o fato é bem natural, pois significa que a região está em processo de regeneração.

Se você ainda apresentar algumas dúvidas, sempre procure um médico para analisar sua situação e ter mais informações. O importante é relembrar que um tratamento com a técnica de cauterização no útero é muito seguro e auxilia nos cuidados íntimos femininos.

Cuidados extras

Como a região que passou pelo processo de cauterização no útero costuma ficar sensível, pode apresentar sangramentos, corrimentos e até mesmo uma dor local. Assim, nossa dica é para que toda paciente evite a realização de atividades com muito esforço físico e, claro, as relações sexuais por uns dias.

Mesmo assim, esses tratamentos podem ser complementados em casa, como analgésicos e pomadas com ações cicatrizantes e anti-inflamatórias prescritas por um médico para garantir resultados eficientes no tratamento.

Mesmo assim, apesar de uma bem-sucedida cauterização no colo, infecções por HPV podem sempre voltar, porque esse procedimento apenas cura lesões e feridas, mas não as infecções decorrentes do vírus. Dessa forma, é essencial que a paciente faça novos exames e consultas rotineiras para dar procedimento ao caso.

É importante lembrar que manter um estilo de vida sempre saudável auxilia na recuperação do sistema imunológico, evitando novas lesões.

A cauterização e a HPV

Como você já aprendeu aqui, a cauterização pode ser um dos tratamentos contra o vírus da HPV. Isso porque quase um terço das mulheres com vida sexual ativa pode estar infectada, devido à sua transmissão por relações sexuais e contato direto com a pele.

Na maioria das vezes, essas infecções são assintomáticas e podem regredir de forma natural, demonstrando que tanto a mulher quanto o homem podem ter a infecção sem apresentar seus sintomas.

No caso de algumas mulheres, o vírus do HPV pode causar alterações discretas na região do colo do útero, visíveis apenas pelo exame de rotina ginecológico chamado de Papanicolau. Por isso que, para que essas lesões fiquem sob controle e não se transformem em câncer de útero, a cauterização no útero é uma das melhores opções.

Mas existem outros meios para tratamento de HPV? Eles precisam ser invasivos?

Como você já deve saber, o HPV é um tipo de vírus adquirido pelo contato sexual, sendo ainda o grande causador de câncer uterino. Mas, antes de ocorrer câncer, esse vírus chega a causar feridas e infecções intraepiteliais, variando seu grau de baixo até alto.

Mas, atenção: a cauterização no colo tem indicação apenas para lesões intraepiteliais que apresentam baixo grau de perigo, pois no caso das de alto grau, o tratamento exigido é o de conização do útero, também chamado de cirurgia de alta frequência, e demanda uso de anestesia.

A necessidade

Além de sua detecção precoce, também é importante saber quando se faz necessário o procedimento da cauterização no útero. Em muitos casos, as lesões não são sérias ameaças, mas é vital saber detectar quando a cauterização precisa ser realizada.

De acordo com diversos estudos e sociedades especializadas no assunto, a cauterização no útero é indicada para casos onde há a presença das lesões de menor grau devido à HPV. Mas confira logo abaixo outros fatores que podem tornar o procedimento da cauterização no útero indicada.

Presença de infecções e secreção

Qualquer sinal dessas feridas exige um procedimento para conter o excesso de secreções infecciosas.

Sangramento anormal

Caso você apresente alguns dos sintomas descritos até agora, como sangramento anormal fora de períodos e ciclos menstruais, entre relações sexuais ou corrimentos, a cauterização no útero é quase certa.

As técnicas e preços

Apesar de ser um procedimento médico, a cauterização no útero é feita de forma simples através de várias técnicas disponíveis no mercado, embora as diferenças entre elas possam revelar que umas são mais invasivas que outras.

Com uma infinidade de clinicas e especialistas, os preços (até o momento) podem variar de $100 a até mais que $500, dependendo também do tipo e o quanto você pesquisar.

Confira as técnicas mais seguras e comuns.

A laser

O método de cauterização no útero a laser é muito conhecida e costuma ser escolhida pelas pacientes pela sua precisão em tratar os tecidos e áreas comprometidas. O lado negativo está, apesar de toda a sua precisão, nos riscos possíveis de afetar parte dos tecidos vaginais que estão saudáveis.

Por eletrocautério

Também conhecido como criocauterização, esta técnica é muito eficaz, embora seja uma das mais invasivas, chegando a ocasionar corrimento nos genitais por vários dias. Vale lembrar que certos métodos chegam a dificultar o trabalho de parto e até mesmo a comprometer a fertilidade, pois atuam no canal da vagina.

Por cauterização química

Uma outra opção de cauterização no útero é a química, onde são empregados agentes químicos como ácidos, cremes, géis e até mesmo comprimidos.

Leave A Reply

Your email address will not be published.