Take a fresh look at your lifestyle.

Ardência na Vagina: O que pode ser?

A ardência na vagina pode se manifestar em diversas situações e é importante investigar a causa.

A ardência na vagina é mais comum do que pensamos. Ela se deve, na maioria das ocasiões, às infecções vaginais, podendo configurar uma vulvodinia – que se caracteriza por ser uma condição que apresenta inflamação e irritação da vulva, a qual pode ser confundida com a vagina, embora, na realidade, se tratem de zonas distintas.

A vulva é a parte externa da vagina e é composta pelos lábios vaginais, clitóris, orifício uretral (por onde a urina sai) e pela abertura vaginal.

De acordo com estudos publicados pela Universidade St. Cloud State, nos Estados Unidos, a ardência na vagina pode se manifestar sem motivo aparente e se apresentar por algum tipo de atrito, seja de roupas apertadas, pelos atos de correr e andar de bicicleta ou, até mesmo, devido à utilização de absorventes.

Remédio caseiro para ardência nas partes íntimas

Qualquer uma de nós pode, um dia, se ver diante dessa situação, especialmente quando saímos de férias, passeamos ou alteramos a nossa dieta. Estes sintomas são parte de infecções bacterianas ou fungos criados pela deficiência de vitamina B, devido à presença de parasitas intestinais ou de irritação na área genital.

O cenário descrito acima é o de uma vaginite – processo inflamatório da mucosa vaginal. Sua principal causa é a alteração do equilíbrio da flora vaginal, (parte integrante do processo natural da vagina, tendo a função de manter e regular o pH).

Isso pode ser causado, por exemplo, por usar um maiô úmido por longo tempo, por vestir roupas íntimas confeccionadas com materiais sintéticos, por cometer erros na higienização da área, por utilizar certos sabonetes íntimos, pela transmissão de microrganismos via relação sexual, entre outras coisas.

Os sintomas mais comuns da vaginite são:

  • Sensação de ardência na vagina;
  • Coceira ou irritação;
  • Odor incomum;
  • Vermelhidão da vulva;
  • Secreção opaca, levemente espessa e com mau cheiro (sintoma de vaginite atrófica);
  • Corrimento vaginal inodoro, espesso, branco e abundante (sintoma de infecção fúngica);
  • Corrimento vaginal cinzento ou branco com cheiro forte (sintoma de vaginose bacteriana).

Apresentamos, a seguir, 7 remédios caseiros que você pode preparar onde quer que esteja para aliviar e curar esses sintomas. Confira:

  1. Aplique, duas vezes ao dia, 2 colheres de chá de iogurte natural grego ou de cabra, na região vaginal;
  2. Extraia o gel contido em um caule de aloe vera ou babosa e aplique-o diretamente sobre a área genital, a fim de aliviar a ardência na vagina;
  3. Ferva 2 punhados de folhas de sálvia em 1 litro de água por cerca de 10 minutos. Após esse tempo, retire do fogo e deixe esfriar. Em seguida, lave a área genital por 5 minutos. Repita essa aplicação duas vezes por dia;
  4. Consuma, diariamente, 2 dentes de alho. Você pode, também, adicioná-los a uma salada que tenha cebola e salsa para aumentar o seu poder antisséptico;
  5. Lave, descasque e amasse três dentes de alho. Coloque em um recipiente que contenha 1/2 litro de água. Ferva por 10 minutos. Após esse tempo, retire do fogo, deixe esfriar e banhe a área afetada uma vez por dia, especialmente antes de dormir, por uma semana;
  6. Aplique várias gotas de óleo da árvore do chá (Tea Tree) na água da banheira. Esse método ajuda a combater a ardência na vagina causada por uma infecção. Se você não tiver uma banheira, pode aplicar uma ou duas gotas do óleo em um vaso com água morna e aplicar panos quentes diretamente na área afetada;
  7. Perfure uma cápsula de vitamina E e aplique o óleo na área inflamada para aliviar a coceira e a ardência na vagina.
Experimente esses remédios caseiros incríveis!

Ardência perto da menstruação

Cada mulher, em seu período menstrual, apresenta diferenças em relação ao fluxo e intensidade de possíveis cólicas. Nos dias imediatamente anteriores, porém, a ardência na vagina pode se manifestar.

Nesses casos, os lábios externos e internos podem arder de tal forma que essa sensação acaba criando desconforto ao sentar ou andar. A despeito de ser algo bastante comum, esse incômodo perto da menstruação pode ser aliviado com excelentes dicas que certamente virão a calhar. Acompanhe:

  • Banho com água morna. Não é necessário alterar sua rotina normal de banhos quando estiver perto da menstruação, basta se lembrar de deixar a água quente para, a um só tempo, aliviar a ardência na vagina e garantir a higienização correta da vagina. Lembre-se de que observar bons hábitos de higiene durante esse período é ainda mais importante do que o normal;
  • Fique atenta às características dos sabonetes que utilizar. Ao tomar banho, não use sabonetes íntimos fortes ou com perfumes, pois eles podem irritar ainda mais a sua vagina. Sendo assim, é recomendável lavá-la com suas próprias mãos, por meio de movimentos suaves e circulares;
  • Troque os seus absorventes com frequência. Se você trocar seus absorventes (externos ou internos) mais vezes ao longo do dia – pelo menos, a cada quatro ou seis horas – será possível manter sua vagina mais limpa e seca, evitando ardência na vagina e dores tópicas;
  • Use um coletor menstrual. Embora seu uso ainda não seja generalizado, o coletor menstrual, além de ser confortável, pode ajudar a evitar a ardência na vagina durante a menstruação. Assim, o roçar de tecidos na vagina não potencializará a irritação que você já vinha sentindo antes da menstruação chegar;
  • Se, após tentar estes métodos, a ardência ainda persistir, você pode optar por tomar algum medicamento anti-inflamatório para reduzir a dor e o desconforto. Contudo, caso a dor continue ou você perceba que ela está distorcendo prejudicialmente o seu ritmo normal de vida, então, vá ao seu médico para obter uma avaliação sobre o que exatamente está ocorrendo com você.

Ardência após relação sexual: o que pode ser?

A ardência na vagina após relação sexual pode ocorrer por razões que vão desde problemas estruturalmente físicos e biológicos até preocupações de ordem psicológica.

Além da ardência na vagina, muitas mulheres sentem, em algum momento de suas vidas, dor ao fazer sexo.

O termo médico para essa condição é “dispareunia”, que é definida como o incômodo persistente ou recorrente na área genital, ocorrendo pouco antes, durante ou depois do ato sexual. Você deve conversar com seu médico se sentir alguns dos sintomas que destacaremos abaixo.

Os tratamentos são focados na causa e podem ajudar a eliminar ou diminuir a recorrência desse problema.

A ardência na vagina após relação sexual pode ocorrer por várias razões.

Sintomas

Se você sentir ardência na vagina após as relações sexuais, poderá experimentar, também, os seguintes sintomas:

  • Ardência na vagina apenas durante a penetração do pênis na vagina;
  • Ardência na vagina em cada penetração, inclusive durante a colocação de um absorvente interno;
  • Ardência na vagina acompanhada de dor severa durante a penetração;
  • Ardência na vagina acompanhada de coceira;
  • Dor aguda, com duração de horas após a relação sexual.

Quando procurar auxílio médico?

Converse com seu médico se você sentir ardência e/ou dores recorrentes ao fazer sexo. Tratar o problema pode ajudar a melhorar sua autoestima, bem como a qualidade de sua vida sexual e a intimidade emocional compartilhada com o seu parceiro.

Causas

As causas físicas da ardência provocada pela relação sexual variam, dependendo se a dor ocorre ao iniciar a penetração ou em meio à penetração profunda. Fatores emocionais podem estar relacionados a vários tipos de intercurso sexual doloroso.

Ardência ao iniciar a penetração

A ardência por penetração pode estar associada a uma variedade de fatores, incluindo:

  • Lubrificação insuficiente. Isso geralmente acontece quando não há preliminares adequadas. Outra causa pode ser a diminuição dos níveis de estrogênio após a menopausa, o parto ou durante a amamentação;
  • Sabe-se que alguns medicamentos afetam o desejo sexual ou os níveis de excitação, o que pode diminuir a lubrificação e tornar o sexo doloroso. Entre eles, antidepressivos, remédios para pressão alta, sedativos, anti-histamínicos e algumas pílulas anticoncepcionais;
  • Lesões ou traumas. Isso inclui lesões geradas por um acidente, cirurgia pélvica, circuncisão feminina ou cortes feitos durante o parto para aumentar o canal do parto (episiotomia);
  • Inflamação, infecção ou distúrbio cutâneo. Uma infecção na área genital ou no trato urinário pode causar ardência durante e após a relação sexual. A existência de eczemas ou outros problemas de pele na área genital também podem ser a causa do problema;
  • Trata-se de espasmos involuntários dos músculos das paredes da vagina que podem tornar a penetração dolorosa e gerar ardência após o coito;
  • Anomalia congênita. Uma desordem congênita, como a agenesia vaginal ou o desenvolvimento de uma membrana que bloqueia a abertura vaginal (como uma vagina não completamente formada) ou o desenvolvimento de uma membrana que bloqueia a abertura vaginal (hímen imperfurado).
A ardência também pode ocorrer com penetração e é indicado consultar um médico.

Dor intensa

A dor intensa geralmente ocorre com a penetração, podendo se agravar em certas posições. Algumas de suas causas são as seguintes:

  • Certas doenças e condições. A lista inclui a endometriose, doença inflamatória pélvica, prolapso uterino, a retroversão uterina, miomas uterinos, cistite, síndrome do intestino irritável, hemorroidas e cistos ovarianos;
  • Cirurgias ou tratamentos médicos. Cicatrizes de cirurgias pélvicas, como a histerectomia, podem causar ardência após a relação sexual. Tratamentos para o câncer, como radiação e quimioterapia, podem causar mudanças que tornam as relações sexuais mais dolorosas e provocam ardência na vagina.

Fatores emocionais

As emoções estão intimamente ligadas à atividade sexual, portanto, podem ser um elemento gerador de ardência na vagina após a relação sexual. Os fatores emocionais incluem os seguintes:

  • Problemas psicológicos. Ansiedade, depressão, preocupação com a aparência física, medo da intimidade ou problemas no relacionamento podem contribuir para um baixo nível de excitação e, consequentemente, desconforto, ardência ou dor na zona genital;
  • Os músculos do assoalho pélvico tendem a ficar tensos em resposta ao estresse que você sente em sua rotina diária, podendo contribuir para a dor durante a relação sexual e posterior sensação de ardência;
  • Histórico de abuso sexual. Nem todas as mulheres com dispareunia têm uma história de abuso sexual, mas se você tiver sofrido abuso, isso pode ter uma certa influência;

Determinar a existência de fatores emocionais associados à dispareunia é uma tarefa complexa. A dor inicial pode causar medo de dores recorrentes, o que dificulta o relaxamento e isso pode causar mais dor. Há mulheres que, sem receber o tratamento adequado, passam a evitar a relação sexual.

Assaduras nas partes íntimas femininas

Uma pequena erupção cutânea na área vaginal pode ser causada por assaduras geradas por muitos fatores, por exemplo, o roçar de roupas e tecidos que se esfregam contra a pele.

As erupções cutâneas que ocorrem sem outros sintomas são, geralmente, de pouca importância e, muitas vezes, desaparecem com o tratamento em casa.

Dermatite de contato

Uma causa comum de assaduras nas partes íntimas é o contato com uma substância que provoque irritação ou uma reação alérgica. Sabonetes, detergentes, shampoos, perfumes ou loções podem causar dermatite de contato.

Frequentemente, a erupção cutânea causada pela dermatite de contato é muito pruriginosa, mas raramente é grave. Mudar o sabonete ou os produtos utilizados para lavar suas roupas íntimas pode ser tudo o que você precisa fazer para evitar esse tipo de problema.

Outras erupções na área vaginal

Outras condições que podem causar uma erupção e, consequentemente, assaduras na área vaginal incluem:

  • Trata-se de uma afecção cutânea (geralmente acompanhada por assaduras e coceiras) causada por ácaros minúsculos que cavam sulcos nas camadas externas da pele;
  • Piolhos-da-púbis. São pequenos insetos que parasitam os humanos e sobrevivem alimentando-se de sangue;
  • Infecção por cândida ou por fungos em forma de leveduras, podendo causar assaduras nas partes íntimas (sobretudo, quando permanecem úmidas por um longo tempo);
  • Psoríase, que causa manchas volumosas, vermelhas ou brancas, cobertas de pele prateada e escamosa. Embora possam afetar a área genital, essas manchas são mais comuns nos joelhos, cotovelos, couro cabeludo, cóccix e costas. Outras áreas afetáveis em qualquer parte do corpo incluem as unhas, as palmas das mãos e as solas dos pés).

Feridas, bolhas ou caroços na área vaginal

Ente as condições que podem causar uma ferida, uma bolha ou um caroço na área vaginal e, assim, provocarem assaduras, encontram-se:

  • Herpes genital. Infecção viral que causa bolhas e feridas na pele da área vaginal;
  • Verrugas genitais. Trata-se de uma infecção sexualmente transmissível (DST). Elas são causadas ​​por vários tipos de papilomavírus humano (HPV);
  • Infecções sexualmente transmissíveis (IST). É possível que os primeiros sintomas de várias infecções sexualmente transmissíveis sejam feridas, bolhas ou úlceras, especialmente na virilha ou na área vaginal;
  • Um fio de cabelo infeccionado (foliculite). Um caroço vermelho e sensível pode se formar quando as bactérias na pele causam uma infecção na base de um fio de cabelo.

Além das condições supracitadas, convém destacar, também, o cisto das glândulas de Bartholin. As glândulas de Bartholin são duas pequenas glândulas, situadas de cada lado da abertura da vagina, que produzem fluidos que lubrificam a abertura da vagina.

Se a abertura para uma das glândulas ficar bloqueada, o fluido pode se acumular dentro da glândula e causar a formação de um nódulo indolor chamado cisto de Bartholin.

Os cistos de Bartholin geralmente não requerem tratamento médico, contudo, em certas situações, pode ser necessário uma intervenção cirúrgica com o fim de drená-los. Em alguns casos, uma das glândulas pode se infectar, causando um abscesso, que, igualmente, deve ser drenado.

Os cistos de Bartholin geralmente não requerem tratamento médico.

Pomadas para coceira e ardência

Ser mulher não é uma tarefa nada fácil, não é mesmo? Afinal, em inúmeras ocasiões temos de passar por situações desconfortáveis ​​em que nossa área íntima é afetada. Como qualquer outra mulher, podemos sofrer com coceira, ardência, irritação ou infecções vaginais.

Se você está diante de um desses momentos tão incômodos, não se preocupe: temos a solução para você! Conheça os 8 melhores produtos para controlar e eliminar todos esses desconfortos em sua zona “V”:

1. Vulva Harmony Cream

Pomada vaginal livre de estrogênios para evitar irritação, coceira e ardência na área íntima. Esta pomada foi especialmente formulada para suavizar a pele da região e aliviar a coceira vaginal. Além disso, sua utilização prolongada contribui para reduzir o crescimento bacteriano.

2. BeeFriendly

Uma pomada íntima baseada em ingredientes naturais e orgânicos. Ela ajuda a hidratar e a combater a secura vaginal, reduzindo a irritação, a coceira, a vermelhidão e a ardência nas áreas mais íntimas.

3. Cortizone-10

Uma pomada especialmente concebida para proporcionar alívio rápido e duradouro para a coceira feminina. Sua fórmula à base de aloe vera e vitamina A, C e E, é muito útil para hidratar toda a área afetada.

4. Vmagic Organica Vulva Balm

Pomada balsâmica à base de ingredientes 100% naturais para a área íntima feminina. Sua fórmula foi elaborada para hidratar a pele, reduzir a intensidade da sensação de ardência e reduzir a coceira vaginal. Além disso, é um produto que serve, adicionalmente, como hidrante para peles muito sensíveis.

5. Vagisil Maximum Strength

Uma pomada projetada para interromper a ardência na vagina e aliviar a coceira rapidamente, sua fórmula é extremamente suave (não provoca nenhum tipo de irritação) e hipoalergênica.

6. Terrasil

Com esta pomada você terá um alívio mais rápido para a coceira e a ardência vaginal. Projetada para peles sensíveis, Terrasil restaura o equilíbrio natural do pH e previne a recorrência de pruridos vaginais.

7. Femmesil

Uma pomada íntima com ingredientes totalmente naturais. Com ela você pode não só evitar e reduzir a coceira vaginal, como também eliminar infecções geradas por fungos e restaurar o equilíbrio natural do seu pH.

8. Boriotic

Exceção em nossa lista, estes supositórios vaginais ajudam a eliminar fluidos ácidos vaginais, secura, maus odores, coceiras e secreções desequilibradas. Além disso, eles aliviam a dor e a irritação de maneira rápida e eficiente.

Leave A Reply

Your email address will not be published.